29 de abril de 2012 às 11h47min - Por Mário Flávio

A secretária de Saúde, Aparecida Souza, iniciou a fala com um breve retrospecto sobre o SUS no Brasil. Segundo ela, o problema muitas vezes está na maneira que as relações são criadas, principalmente envolvendo os partidos e citou o jeitinho como um dos atrapalhadores no processo. “Nós temos que mudar a realidade da situação da saúde. Por exemplo, aquela história de tentar usar políticos para passar na frente de outras pessoas e ser atendidas mais rápido, isso não pode mais acontecer e se depender de mim, essa situação não mais acontecerá, quando fazemos isso, tiramos a vaga de uma pessoa que estava na espera”, disse.

Ela citou o exemplo dos avanços conquistados na gestão do presidente Lula e continuado pela presidenta Dilma Roussef e disse que a situação em Caruaru deve seguir em consonância com os governos estadual e federal. “Fui convidada para assumir a pasta, não por ser do PT, mas por naquele momento reunir condições técnicas de assumir uma questão delicada na saúde municipal. Não adianta nada baixar um decreto sobre a situação de saúde, se não debatermos o que queremos para a saúde. Temos que trabalhar hoje a situação da prevenção. A promoção da Saúde precisa de políticas públicas transversais, que envolvam todas as secretarias, que garantam que as pessoas vivam mais e melhor, por isso, que peço para que essas questões sejam incluídas no Programa do PT. Temos uma estrutura hoje que é bem melhor que a rede privada, o contingente é bem maior,  mas para isso, precisamos que todos estejam envolvidos nesse processo”, pontuou.

Para que a situação da saúde melhore, Aparecida disse que as informações devem ser melhoradas e que uma rede deve funcionar perfeitamente. “Para que tudo funcione bem, hoje, precisamos trabalhar com uma linha de cuidados, uma forma de rede, se a situação na políclinica do Salgado vai bem, na UPA munipal do Vassoural também deve ir bem, hoje temos uma rede quebrada. Uma mulher que for ter um filho, por exemplo, deve ser acompanhada desde o pré-natal, até o nascimento da criança. Uma mesma equipe deve acompanhar tudo, isso sem a mulher precisar ficar procurando as situações, ela vai ser monitorada pela nossa equipe”, disse.

Ao fim do discurso, a doutora Cida elogiou os petistas de Caruaru e disse que a situação da saúde não é melhor porque o que foi pensado pelo ex-secretário Dr. Vieira, foi quebrado pelo ex-prefeito Tony Gel. “Os quadros do PT hoje na área de saúde pública, são praticamente os únicos entre os partidos de esquerda, talvez por isso, que sempre fui convidada para trabalhar em governo de esquerda. O que foi pensado lá atrás pelo Dr. Vieira era uma política para o futuro, mas que foi quebrada nos oito anos de gestão de Tony Gel. Ninguém consegue dar conta da saúde produzindo doentes, temos que trabalhar a questão da prevenção”, disse.

 


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro