18 de maio de 2013 às 22h14min - Por Mário Flávio

20130518-221808.jpg

O presidente estadual do PSD em Pernambuco, André de Paula, esteve neste sábado em Caruaru. Ele foi ao Alto do Moura, onde conversou com o presidente da legenda em Caruaru, Adolfo José, o vereador Dr. Demóstenes e integrantes da Juventude do PSD, que organizaram o encontro. O político conversou com a equipe do blog sobre temas de interesse para a legenda no estado.

REUNIÃO – “Caruaru é estratégico para o partido e todas as vezes que a gente passa por aqui, vamos sempre estabelecer conversas importantes como essa que tivemos neste sábado. Fizemos uma avaliação do quadro, ouvimos as insatisfações, como andam os nossos projetos de futuro e a construção do partido. Somos uma legenda muito nova e vamos enfrentar a primeira eleição nacional e estadual, conversamos sobre isso e avalio bem o que foi debatido hoje, já que estamos querendo dar uma motivada na juventude, que terá papel fundamental de motivação e irradiação aqui na região, observei que as coisas estão caminhando bem”.

ELEIÇÃO 2014 – “Ainda é cedo e alguns fatores nos impedem de fazer um juízo nesse momento, já que teremos definições fundamentais para o próximo pleito, que passam desde a consolidação ou não do projeto do governador Eduardo Campos. Se ele for candidato o quadro é um, se ele não for é totalmente diferente e isso se reflete em todos os partidos e nas alianças que irão ser montadas. Sobre o PSD, temos no nosso partido alguns quadros que se habilitam para ter pretensão, isso é legítimo e democrático e aqui temos quadros que possam nos representar na assembleia. Temos o vereador Demóstenes Veras, uma pessoa muito respeitada na região e o nome do ex-deputado Adolfo José, que é presidente do partido e recentemente foi vereador. Esses são dois nomes estão dentro dessa avaliação que nós vamos fazer, já que temos possíveis candidatos em todo Estado e vamos montar uma chapa muito boa. O nosso objetivo é ocupar espaço na Câmara dos Deputados, vamos lutar para eleger dois nomes e queremos avançar nos quatro estaduais que temos hoje na assembleia legislativa. Se um dos dois for candidato em Caruaru, terão que ir para ganhar”.

ESPAÇO NO GOVERNO – “Existe um diálogo com a atual gestão, sempre aberto com o prefeito Zé Queiroz. Esse tipo de conversa nos fazemos mais entre nós e não pela imprensa, já que essa não é uma questão que acho relevante. Para mim, relevante é trabalhar por Caruaru. Tenho acompanhado todas as demandas e sei que poderíamos ocupar um espaço mais consistente, principalmente devido ao papel importante que desempenhamos na campanha, mas quero registrar que os canais de negociação com o prefeito estão em aberto e são feitas em alto nível. Ajudamos a Queiroz da melhor forma possível e ele tem sido muito correto e sabemos que temos na prefeitura um parceiro. É claro que nós gostaríamos de avançar, sei que é possível que avancemos e não vamos brigar por espaço para satisfazer um outro correligionário, mas compreendemos que se ocuparmos mais espaço poderemos ajudar no desenvolvimento de Caruaru e qualquer partido quer espaço, isso é normal”.

CANDIDATURA – “Vou ser candidato a deputado federal. Na última eleição em função de uma série de circunstâncias eu fiquei na primeira suplência, mas é bom lembrar que tive mais votos que dez dos atuais deputados que estão em Brasília, são as regras que não reclamo, já que foram estabelecidas antes do processo eleitoral e com humildade me submeti a elas. Só que esse percalço de estar na suplência interrompeu 22 anos de sucessivos mandatos legislativos, um de vereador, dois de deputado estadual a três de deputado federal e uma passagem pelo governo na secretaria de Reforma Agrária. Sinto que ainda tenho muito a dar por Pernambuco e o projeto do PSD não apenas consolidou o meu espaço político, mas ampliou, já que em um ano trabalhamos e temos parceiros em 178 municípios, alguns que eu nunca sonhei ter. Isso será de grande utilidade para retomar esse mandato, isso é uma prioridade do partido. Eu fico muito feliz porque não temos candidato a presidente da República e nem a vice, o nosso projeto é Congressual, o presidente Kassab não esconde de ninguém que quer sair dos atuais 52 deputados para uma bancada de 80 e Pernambuco não tem representante na Câmara e quem sabe eu e outros companheiros não poderemos estar no Congresso. Queremos ainda ampliar o número de senadores e governadores e sem candidato a presidente isso facilita a costura de alianças”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro