28 de fevereiro de 2020 às 09h21min - Por Mário Flávio

Nos últimos tempos, por diversas vezes, André demostrou sua insatisfação em relação a Frente Popular de Pernambuco, o que acabou levando seu nome a ser anunciado como pré-candidato a prefeito do Recife pelo PSD. Em recente entrevista concedida ao radialista Alberes Xavier, o deputado comentou sobre o imbróglio. “Acho que política é gesto, é símbolo, é sinalização. O que aconteceu na montagem da segunda equipe, Pernambuco todo, os políticos, radialistas, jornalistas, leram como um desprestígio, uma desatenção, uma falta de apreço, uma diminuição de importância”, avaliou. 

Apesar da insatisfação, recentes gestos do governador Paulo Câmara e do deputado federal João Campos (PSB), fizeram com que André ponderasse sobre o afastamento do PSD da Frente Popular. “As sinalizações são todas. Ele (Paulo Câmara) é muito direto. Ele sabe que houve esse afastamento e ele tem trabalhado muito para que esse afastamento se reduza. Eu não estou rompido, mas existe um afastamento”, disse. 

De acordo com André, o caminho para sua reaproximação com o Governo Estadual é o diálogo. “Política é uma construção que visa o futuro. Então, por mais infeliz que tenha sido aquele momento, a gente tem que virar essa página e a gente tem que construir um novo momento”, disse o deputado, destacando que acredita realmente que o governador Paulo Câmara tem avançado no sentido de trabalhar suas alianças políticas. 

Mesmo com essa real possibilidade de uma reaproximação a situação de Caruaru não deverá ser atingidas. Raffiê Dellon já está com o bloco na rua para uma possível candidatura e seria muito ruim nesse momento uma retirada de candidatura do PSD para apoiar um dos nomes da Frente Popular. Se a reaproximação ocorrer será mais uma candidatura da base de apoio do Palácio e de oposição a Raquel Lyra, coisa que Raffiê já faz desde o primeiro dia de governo da tucana.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro