9 de junho de 2012 às 09h55min - Por Mário Flávio

O PV de Caruaru está em rota de Colisão. Os verdes não se entendem sobre a situação do partido na Capital do Agreste. O presidente da sigla em Caruaru, Marcelo Rodrigues, anunciou apoio oficial a candidatura de Miriam Lacerda (DEM).

A decisão de Marcelo não foi muito bem digerida por integrantes da sigla. Com cargos na prefeitura, o dentista Alessandro Feitosa e o secretário Antônio Ademildo não aceitam a ida para a oposição e entraram em rota de colisão com Marcelo Rodrigues. Os dois criticaram bastante a postura de Rodrigues. Alessandro Feitosa disse ao blog do Vanguarda que o atual presidente do partido está fazendo “jogo sujo” ao mudar, de última hora, a composição da comissão provisória da legenda. Para os aliados de Marcelo Rodrigues, o apego ao cargo na prefeitura de Caruaru, é a principal motivação de Feitosa.

No entanto, ele informou ainda que defende o PV no palanque de José Queiroz, foi pego de surpresa com a retirada de três nomes ligados a ele da comissão provisória, entre os que tiveram o nome retirado, o secretário de Administração e Gestão de Pessoas, Antônio Ademildo. Além dele, saíram Edson Rosal e Geraldo da Auto-escola, que nem eram mais da legenda e Marcelo Lopes e Antônio Ademildo, que segundo o próprio Marcelo pediram para sair.

No entanto, Ademildo negou a situação. “Isso não é verdade, nunca pedi para sair da comissão, tenho 12 anos de PV e quando teve aquela questão com Jorge Quintino, o próprio Marcelo me incluiu na comissão, como eu iria pedir para sair? Liguei várias vezes para Marcelo, ele não atendeu e mandou uma mensagem, mas agora não tem mais conversa, vamos a executiva estadual do partido e tudo será resolvido no Recife”, disse Ademildo.

Marcelo Rodrigues estava na base do prefeito José Queiroz desde a eleição em 2008, assumiu cargo no Governo Municipal, mas foi um dos primeiros a deixar a Prefeitura de Caruaru, segundo ele, porque as promessas ligadas ao meio ambiente não estavam sendo cumpridas. De lá para cá, o verde não quer mais conversa com a gestão municipal.

Depois que saiu, Marcelo, que é advogado e professor universitário, foi convidado para assumir a pasta do meio ambiente da capital pernambucana e durante 11 meses fez um excelente trabalho, combatendo as poluições visual e sonora, além de fazer ajustes técnicos com as operadoras de celular. Desincompatibilizou e deixou no seu lugar o assessor direto, Marcílio Cumarú.

No PV não existe aquela verticalização. Em nível nacional o PV não faz parte do governo de Dilma Roussef, no estado apoia Eduardo Campos e agora em Caruaru, os verdes rumam para a oposição.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro