31 de janeiro de 2012 às 07h23min - Por Mário Flávio

Reportagem polêmica no Jornal Vanguarda mostra a confusão entre dois vereadores da base governista. Segundo o jornalista Wagner Gil, os edis usam a água para disputar votos na zona rural de Caruaru. Eis a reportagem completa.

O abastecimento d’água na zona rural de Caruaru está causando uma disputa eleitoral antecipada entre alguns vereadores da base governista. É que moradores do Sítio Saguim, uma das áreas mais secas da Capital do Agreste, localizada no 2º Distrito, estariam sendo prejudicados pela “briga” entre os vereadores Edmílson do Salgado (PCdoB) e Leonardo Chaves (PSD).
Na comunidade de cerca de 40 famílias, o abastecimento é feito através de um chafariz municipal, que passou cerca de três anos sem funcionar porque a bomba d’água estava quebrada. O VANGUARDA esteve no local e os moradores afirmaram que já haviam recorrido à prefeitura dezenas de vezes para comprar outra bomba e depois para consertar, mas não foram atendidos. “Foi um sofrimento danado. Tinha dia que nós carregávamos água em uma ladeira por mais de 400 metros”, disse o agricultor Manoel Pinto. “Nossa alternativa foi falar com o vereador Edmílson do Salgado, que resolveu nosso problema em novembro do ano passado, comprando uma bomba nova, toda fiação e pagou para fazer a instalação”, afirmou o agricultor Luís Francisco.
A ação do comunista causou ‘ira’ em Leonardo Chaves, que foi o majoritário do local nas últimas eleições. Além de não falar mais com Edmílson do Salgado, ainda desferiu vários ataques ao comunista. “Não entendo a ira de Leonardo. Fui chamado para uma reunião na comunidade, que me pediu para fazer o serviço. Gastei R$ 1.780,00 com a bomba e mais R$ 500,00 com a instalação. Fiz isso e não pedi nenhum voto, porque, quando era criança, carreguei muita lata d’água da cabeça e sei o sofrimento desta gente”, revelou Edmílson.
A água, que é distribuída no Sítio Saguim, vem de um poço localizado em uma propriedade particular, mas quem deveria ficar responsável pela colocação da bomba e o funcionamento do chafariz era a prefeitura, através da Secretaria de Agricultura, que, segundo os moradores, foi omissa nesse caso. A distribuição é feita pelo dono da propriedade Manoel Pinto, mas ele afirmou que não está sendo feito nenhum tipo de politicagem na distribuição do líquido. Na denúncia que VANGUARDA recebeu, Manoel estaria atendendo apenas os eleitores de Chaves, numa retaliação à ação do vereador Edmílson do Salgado. “Isso nunca aconteceu aqui”, afirmou o agricultor Maurício Moreno.
VANGUARDA visitou pelo menos mais oito residências e os moradores afirmaram que a distribuição está sendo feita para todos. “O problema foi a bomba que foi roubada e o vereador Leonardo ficou com ciúmes porque foi outra pessoa quem solucionou o nosso problema. Ele não ajudou a gente a resolver, mesmo sendo da base do prefeito José Queiroz”, disse a dona de casa Madalena Lemos. “O problema foi que nós passamos mais de um ano pedindo a Leonardo e ele não resolveu. Só porque o outro vereador resolveu, estão querendo inventar histórias sobre a distribuição da água. Nós não dexaríamos a distribuição desta forma, ou seja, beneficiando apenas os eleitores de determinados políticos”, completou Maurício Moreno.
O vereador Leonardo Chaves mostrou que está bastante irritado. “Isso deve ser armação de algum político que está rondando por lá (Sítio Saguim)”, disse, referindo-se a Edmílson do Salgado. “Nunca houve problema naquela comunidade. Quando uma bomba queimou e Edmílson do Salgado patrocinou a troca, é que começou toda esta confusão. Este tipo de denúncia é uma safadeza e visa criar problemas para minha pessoa.” VANGUARDA tentou entrar em contato com o secretário de Agricultura de Caruaru, Josué Mendes, mas seus dois telefones estavam desligados.

Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro