10 de abril de 2014 às 07h25min - Por Mário Flávio

20140410-072435.jpg

Durante reunião recente na Câmara Municipal de Caruaru, os vereadores aproveitaram para abordar um assunto que tem preocupado muita gente, principalmente com as notícias de baixa nos reservatórios de água que abastecem a região. Jaelcio Tenório (PRB) foi um dos fizeram o alerta: “É preciso implementar uma cultura de economia de água, pois o Brasil está atravessando uma fase difícil de falta de água e não está sendo diferente em nossa cidade. É preciso implantar uma política de conscientização nas igrejas, escolas e sociedade em geral”. O vereador cobrou também mais agilidade da Compesa, a companhia estadual responsável pelos serviços de água e esgoto, no conserto de tubulações estouradas, para evitar desperdício. “O responsável pela Compesa precisa comparecer a esta Casa para prestar esclarecimentos sobre a responsabilidade com a água, pois água é vida”, retorquiu Tenório.

Heleno do Inocoop (PRTB) endossou a sugestão do colega e pediu a realização de uma audiência pública na Câmara para discutir o valor que se paga pelos serviços de fornecimento de água encanada e de coleta de esgoto pela companhia estatal. “Esse relógio da Compesa instalado na Casa do Povo registra um número absurdo. É preciso que seja realizada uma audiência pública para discutir esse assunto, pois Caruaru está pagando muito caro pela água”.

Já Ranilson Enfermeiro (PTB) reclamou dos buracos deixados pela companhia após consertos realizados no Alto do Moura. “O serviço foi de péssima qualidade, pois deixou as ruas esburacadas por onde passou a encanação. Fiz fotos e irei encaminhar denúncia ao Ministério Público. Também acho injusto o que pagamos de esgoto à Compesa. É por esses motivos que sempre defendi a privatização da companhia”, discursou o parlamentar.

Gilberto de Dora (PSB) engrossou o coro: “A Compesa não deveria cobrar taxa de esgoto, pois não trata o esgoto”. As críticas foram feitas também pela vereadora Rosimery da Apodec, do DEM: “Acho um absurdo o valor que eles cobram às pessoas que precisam demais de um carro-pipa e isso precisa ser visto”.

Depois de formalizado o pedido de realização da audiência pública sobre os serviços prestados pela Compesa em Caruaru, o gestor regional da companhia deverá ser convidado para vir a plenário prestar esclarecimentos sobre o assunto.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro