4 de setembro de 2013 às 15h25min - Por Mário Flávio

20130904-143933.jpg

Após o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para as lavanderias de Caruaru foi não ter sido mais uma vez cumprido, foi determinado na manhã de hoje (04), um complemento com um termo aditivo relacionado ao tratamento de efluentes secundários. Estiveram presentes o Ministério
Público, o CPRH, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a Associação de Lavanderias de Caruaru e entidades representativas da sociedade civil organizada.

A apresentação do termo aditivo foi realizada pela promotora Gilka Miranda, que falou sobre os ajustes necessários para adequação das empresas do segmento e os prazos que serão dados para a regulamentação de todas elas.
“Fizemos conscientização junto aos empresários para que compreendam a
repercussão do funcionamento fora dos padrões, até porque essa discussão é bem antiga. Agora estamos deixando bem claro, através de muito diálogo e estudos técnicos, quais são as obrigações que constam na legislação segundo as regras do CPRH e do CONAMA. Nosso próximo passo será aplicar a Lei, algo que faremos com rigidez”, destacou Miranda.

Na ocasião também foi apresentado o andamento do Distrito Têxtil, que será
implementado dentro de 18 meses no Distrito Industrial do Município. O
local terá 40 hectares, divididos em 50 lotes que devem contemplar empresas
que compõem o setor de produção de confecção. Atualmente as lavanderias funcionam em lugares mais variados na zona rural, zona urbana e no distrito industrial. Os empresários do setor vêm participando das discussões para minimizar os efeitos que causam ao meio ambiente e demonstram interesse em cumprir as exigências da legislação


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro