21 de março de 2012 às 23h19min - Por Mário Flávio

Após um longo tempo o nome “Romário” voltou a fazer parte do noticiário. Dessa vez em duas situações que mexem com a vida de cada um de nós. No fim de semana a Revista Veja, trouxe nas páginas amarelas uma entrevista com o ex-jogador, que afirmou: “A Copa vai ter o maior desvio de dinheiro público na história do Brasil”. Na polêmica entrevista, o peixe disse ainda que dos 400 deputados, apenas 100 cumprem o dever de casa. Com certeza, ele mesmo não está no meio desses, mas isso é assunto para outro post.

Em Caruaru, um Romário menos famoso expôs mais uma vez a fragilidade da saúde pública municipal. O paciente chegou a ser anestesiado, mas ao acordar veio a surpresa! Não tinha passado pelo procedimento cirúrgico. As histórias dos dois “Romários” mostram duas áreas de extrema importância, mas que ainda precisam ser muito melhoradas pelo poder público. A corrupção anunciada pelo Romário famoso escancara um sistema que envergonha o Brasil.

A reportagem exibida na semana passada no Fantástico revela a fragilidade do SUS e como licitações podem ser fraudadas. A situação do Romário anônimo mostra que ainda estamos longe de resolver a saúde pública. A resposta da secretaria de Saúde foi pouco convincente e a situação por aqui é igual a cantiga da perua. Os dois “Romários” talvez nunca se conheçam, mas em dado momento das nossas vidas, ambos serviram para que possamos parar e pensar friamente: As questões de saúde pública e corrupção devem ser analisadas por todos com muito, mas muito cuidado.

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro