4 de outubro de 2013 às 08h55min - Por Mário Flávio

Na sessão desta quinta-feira na Câmara mais um episódio para manchar a imagem da atual legislatura. No momento do uso de um aparte o vereador Jajá (PPS) insinuou que a secretária de Saúde de Caruaru, Aparecida Souza, seria estéril por dar declarações frias sobre as mortes na Casa de Saúde Bom Jesus. No momento o presidente da Casa, vereador Leonardo Chaves (PSD), estava ausente e quem comandava a sessão era o vice-presidente Zé Ailton (PDT). Ele pediu que Jajá respeitasse as pessoas de fora da Câmara e não se dirigisse daquela maneira a secretária.

Jajá retrucou e imediatamente Zé Aiton bradou. “Não concedo a palavra a vossa excelência, cale-se!”. Jajá ficou visivelmente irritado e no momento que usou à Tribuna aproveitou para se dirigir ao presidente da Comissão de Ética, vereador Ricardo Liberato (PSC), sobre uma convocação dele para prestar depoimento sobre o desentendimento dele com o vereador Romildo Oscar (PTN). Durante a fala de Jajá, o vereador Marcelo Gomes (PSB), chama Liberato e provoca a reação de Jajá, que diz que vai conceder o aparte ao socialista.

Mostrando mais uma vez que se estressa facilmente, Marcelo Gomes dispara. “Não quero nenhum aparte, fique na sua!”. Jajá retrucou da Tribuna e disse que não ia ouvir sugesta de ninguém. “Fique na sua você, peço respeito, hoje o vereador Zé Ailton mandou eu me calar e Marcelo Gomes manda eu ficar na minha. Isso não incomoda ao presidente da Comissão de Ética, Ricardo Liberto? Não sou nenhum menino e nenhum moleque, peço respeito. Por isso que o conceito dessa Câmara é da pior de Pernambuco”, disse Jajá.

Marcelo e Zé Ailton se defenderam e disseram que o problema é o exagero em algumas declarações ou postura dele na Tribuna. Mas diante do que se viu ontem uma situação é certa: falta o temperamento adequado a maioria dos vereadores.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro