20 de fevereiro de 2014 às 21h25min - Por Mário Flávio

20140220-185516.jpg

O nome do secretário Paulo Câmara como escolhido para ser o candidato do PSB ao governo de Pernambuco pegou a todos de surpresa, mas revela a tendência de nomes de renovação no grupo liderado pelo governador Eduardo Campos. Mesmo sendo desconhecido pela maioria do eleitorado e até de políticos aliados, o discurso para confirmar o nome dele vai ser pela capacidade técnica e do novo na política, que ele vem tentando emplacar desde que fez a aliança com a Rede Sustentabilidade.

A imagem de um gestor moderno e eficiente vai ser amplamente propagada a partir de agora. Desde o primeiro governo Eduardo Campos/João Lyra que ele faz parte do núcleo duro e é um dos articuladores da gestão socialista junto ao grande leque de prefeitos aliados da base governista. O nome dele também foi o que causou menos resistência entre os mais cotados para a vaga, fator que também pesou na decisão do governador.

Os exemplos do Recife e Governo Federal também serão usados a favor do socialista. Geraldo Júlio e Dilma não tinham experiência na gestão e realizam governos aprovados pela maioria. Resta ao governador convencer a todos os aliados que caiam em campo para que a candidatura dele vingue e monte um amplo leque de aliados para dar suporte a candidatura dele, já que terá o desafio de fazer a campanha sem Eduardo no estado, uma vez que ele estará em plena campanha para presidente. A conferir.

OFICIAL – O anúncio oficial dos nomes da chapa majoritária acontece nesta segunda-feira (24), às 10h, no Recife Monte Hotel, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. O local é emblemático, porque foi nele que Eduardo Campos acompanhou a votação em 2010 e onde o prefeito do Recife, Geraldo Julio, aguardou o resultado da eleição.Toda a cúpula de aliados do PSB está sendo recrutada para o encontro.

MAJORITÁRIA – Os demais membros da chapa majoritária serão do PMDB e do próprio PSB. O deputado federal Raul Henry será o candidato a vice-governador e o ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, vai disputar a eleição para senador. Com essas indicações o governador matou vários coelhos com uma cajadada só.

JOÃO LYRA – A imprensa da capital insiste na tese que João Lyra vai dificultar a vida do governador por não ter sido o escolhido para a sucessão. Devido a fidelidade que tem ao socialista, é uma tese para ser analisada com calma, já que os dois sempre estiveram juntos em quase oito anos de governo. João vai entrar para história como o primeiro caruaruense a governar o estado e também ser o chefe do Executivo durante a Copa do Mundo. Eu não acredito nessa tese de rebeldia no PSB.

REBELDE – O prefeito de Petrolina Julio Lóssio já avisou que vai apoiar a candidatura de Armando Monteiro Neto (PTB). Mesmo ele sendo do PMDB e com Raul Henry na chapa do PSB, disse que só subia no palanque se o candidato fosse João Lyra. Na verdade o prefeito sempre foi oposição a Eduardo Campos e queria uma razão para não subir no palanque socialista. Conseguiu. A Executiva do PMDB ainda não se pronunciou sobre o caso.

E o PP? – A pergunta agora é o destino do PP. O deputado federal Eduardo da Fonte era um dos cotados para ser candidato ao senado e foi cortejado por socialistas e aliados de Armando Monteiro. A dúvida é se ele estará presente amanhã no lançamento do nome de Paulo Câmara. Se não estiver deve mesmo embarcar no palanque de Armando.

EMPREENDEDOR – Caruaru está entre os 40 municípios que mais apoiam o
empreendedorismo no País. O levantamento foi realizado pelo Sebrae Nacional em parceria com a Confederação Nacional de Municípios (CNM). Os critérios da seleção estão previstos no convênio nº 28/2012, celebrado entre as entidades, que observa os avanços no processo de implantação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas nos 5.565 municípios brasileiros

HUMBERTO BATE EM AÉCIO – O líder do PT no Senado, Humberto Costa, classificou como estratégia a decisão do deputado federal e ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo, do PSDB, de renunciar ao mandato para não ser cassado. De acordo com o senador pernambucano, a decisão de Azeredo pretende impedir seu julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e evitar que o escândalo do mensalão mineiro, ocorrido quando ele era governador de Minas, prejudique a candidatura do presidenciável Aécio Neves.

OMISSÃO – Para denunciar o que chama de omissão do governo federal com a realidade de violência e descontrole social que se estabelece na Venezuela, o líder do Democratas, Mendonça Filho, foi à tribuna do plenário, onde também mostrou indignação por mais uma estudante assassinada durante as manifestações no país. Mendonça criticou o comportamento do governo Dilma em se esconder por trás de uma nota do Mercosul onde se critica “a tentativa de desestabilizar a ordem democrática na Venezuela”. Ele fez uma comparação às declarações da União Europeia e de outros países como os Estados Unidos e o México que reafirmaram o apoio à liberdade de expressão, às manifestações pacíficas e à manutenção do diálogo.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro