5 de março de 2012 às 10h00min - Por Mário Flávio

Desde o início dos trabalhos da Destra em Caruaru, que a relação entre o coronel Bosco e servidores da autarquia vai de mal a pior. Homem de confiança do presidente da autarquia, Coronel Clóvis Cavaliere, o tenente-coronel Bosco protagoniza uma situação delicada na Destra. Nas assembleias realizadas junto ao Sismuc, os agentes soltaram o verbo e o alvo sempre foi o ex-vice presidente da autarquia, acusado de autoritário pelos servidores.

Após muitos desentendimentos, Clóvis Cavaliere decidiu mudar Bosco de função e ele assumiu a direção administrativa e financeira, mas os problemas não param de chegar. Primeiro, os agentes acusaram Bosco de promover revanchismo e atrasar os salários. Na semana passada, uma decisão simples, de mudar a maneira de entregar os tickets de alimentação, gerou muita polêmica e se transformou em mais motivo de troca de farpas entre o diretor e servidores.

No momento da conversa, houve uma verdadeira lavagem de roupa suja entre os servidores e o tenente-coronel, com o presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça, tendo que intervir para que o debate findasse. Bosco nega as acusações e diz que mudou a forma de entrega dos tickets para ter mais controle. O problema é que a relação azedou tanto que um simples ato vira motivo de chiadeira por parte dos servidores

 

Qualquer decisão tomada por Bosco vira motivo de polêmica. Imagem: Paulo Roberto/BMF

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro