21 de março de 2017 às 07h08min - Por Mário Flávio

Lula

Políticos que acompanharam a visita de Lula a Monteiro (PB), no último domingo, voltaram para os seus estados convencidos de que a carinhosa manifestação de que ele foi alvo mexeu com sua cabeça para 2018. Ele ainda não se declara candidato à sucessão de Michel Temer. Muito pelo contrário, sempre age com cautela quando é questionado sobre a candidatura.

Ora diz que está velho demais para ser candidato, ora que não sabe sequer se estará vivo em 2018, ora que o PT deve apostar em caras novas, como por exemplo o ex-prefeito Fernando Haddad (SP) cujo nome não apareceu até agora em nenhuma das 38 fases da Operação Lava Jato. O fato é que, mesmo não tendo tomado ainda uma decisão, o ex-presidente é o nome mais competitivo do PT para enfrentar essa parada. E, paradoxalmente, é o candidato mais forte e também o mais fraco.

Tem ao mesmo tempo 30% de intenções de voto e cerca de 50% de rejeição.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro