19 de dezembro de 2012 às 09h40min - Por Mário Flávio

Durante a cerimônia de diplomação em Caruaru na noite dessa terça-feira (18), o prefeito reeleito Zé Queiroz (PDT) foi indagado pelo Blog do Mário Flávio sobre os motivos que o levaram a anunciar o veto aos projetos de reajuste para os cargos do Executivo e Legislativo e se isso teve o peso direto das ações de manifestantes nas últimas semanas. Mais ponderado e evasivo que os vereadores, Queiroz lembrou que o projeto é iniciativa da própria Mesa Diretora da Câmara e que decidiu dar aos edis a opção de apreciar o veto.

No contexto

Zé Queiroz decide vetar o projeto que reajusta os salários no Executivo e Legislativo

Reajuste para prefeito e vereadores em Caruaru é aprovado e sessão termina em tumulto e agressão

“Eu apenas fiz o seguinte: se se questionam valores e isso foi iniciativa do Legislativo, é ele que vai decidir. Você há de convir que a afixação do valor atual [salário do prefeito] foi em dezembro de 2005, em 16$ mil, e de lá até hoje não houve um único reajuste. Cabe a Câmara apreciar o veto, discutir e decidir”, argumento o prefeito.

Ele também não chega a considerar os projetos de reajuste inoportunos, mas preferiu passar a bola para os vereadores, devido aos questionamentos da população. “Não é inoportuno, me cabe essa decisão diante de todas as circunstâncias em que se coloca esse valor, tendo em vista que você pode pesquisar um bocado de cidades de porte médio que pagam esse valor, como Juazeiro do Norte. Eu prefiro, se é iniciativa da Câmara, e se é questionado pela população, devolver ao Poder Legislativo”, completou. No entanto, vale ressaltar que a devolução dos projetos à Câmara Municipal significa que os documentos podem, na verdade, sofrer ajustes para tentar minimizar as críticas levantadas pela população. Quando o prefeito anunciou que iria vetar os projetos, os documentos ainda não haviam sido enviados à prefeitura.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro