8 de novembro de 2019 às 14h25min - Por Mário Flávio

Presidente estadual do PDT, o deputado Wolney Queiroz não viu com bons olhos as declarações do correligionário e prefeiturável Túlio Gadêlha em relação ao partido em Pernambuco e reagiu. Sem esconder o mal-estar interno, à coluna, o dirigente estadual, por meio de nota, rebateu: “Ao dizer que o partido está ‘empoeirado’, ele tenta atingir, de forma deselegante e desrespeitosa, não somente nosso grupo – que com honradez e fidelidade tem comandado os destinos do PDT estadual nos últimos anos – mas também as centenas de dirigentes estaduais e municipais, que dão o melhor de si à causa trabalhista”.

Na sequência, Wolney dispara: “A única ‘poeira’ encontrada no PDT de Pernambuco está sobre a cadeira de Túlio, visto que o mesmo, já há bastante tempo, não comparece às atividades da legenda”. O dirigente faz referência à seguinte declaração de Túlio, feita à coluna: “Nossa meta, agora, é tirar a poeira do PDT de Pernambuco e abrir as portas para todo esse pessoal que acreditou no projeto apresentado por Ciro Gomes em 2018”.

Túlio fez a projeção após o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, anunciar, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, que virá ao Recife, em dezembro, para lançar a pré-candidatura dele à Prefeitura da Capital pernambucana. Túlio, então, disse ser cedo para falar de eleição, mas informou ter como meta também “democratizar os espaços, renovar os quadros, ter uma direção eleita pelos filiados e mostrar que o PDT é um partido que não tem dono”.

Wolney definiu essa posição como “absurdo”. No texto, o dirigente do PDT-PE advertiu: “Repare no absurdo: ‘o sujeito é alçado à condição de pré-candidato e, em sua manifestação inaugural, faz um ataque à direção estadual do seu próprio partido’”. Na avaliação do dirigente do PDT-PE, Túlio, “como de costume, mostra-se incapaz de aglutinar, de unir, de liderar”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro