11 de janeiro de 2013 às 08h47min - Por Mário Flávio

Eleito em outubro, o vice-prefeito de Palmas, Sargento Aragão (PPS), renunciou ontem, causando a primeira crise política da gestão do empresário colombiano naturalizado brasileiro Carlos Amastha (PP) na capital do Tocantins. Aragão tomou a decisão sob a alegação de ser contra a nomeação do irmão e da cunhada do deputado federal Eduardo Gomes (PSDB-TO) e de um vereador ligado à senadora Kátia Abreu (PSD-TO) para cargos do primeiro escalão.

Também disse discordar do remanejamento de 50% no orçamento municipal, pedido por Amastha e incluído no Orçamento 2013, aprovado pela Câmara Municipal em dezembro. Deputado de oposição ao governador Siqueira Campos (PSDB), Aragão votou contra o pedido do Executivo estadual de remanejar 40% dos recursos sem consulta à Assembleia. “Como posso aceitar 50% no município?”, questionou. Em relação ao secretariado, disse que Amastha “juntou tudo e todos e esqueceu de combinar com a base que o elegeu”.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro