18 de janeiro de 2012 às 10h00min - Por Mário Flávio

A sessão da Câmara Municipal de Agrestina da segunda-feira (16) gerou polêmica pela aprovação do relatório de denúncias contra Carmem Miriam (PT). Além disso, também foi marcada pelo tumulto gerado pelos populares presentes. Boa parte do público aparentou fazer parte da base da prefeita e, em alguns momentos, xingavam vereadores da oposição e começavam a gritar, impedindo que alguns vereadores se pronunciassem adequadamente na plenária. No entanto, também houve militantes da oposição que atrapalharam os discursos. Quem não gostou nada disso foi o vereador Severino Romão (PSB).

Em seu discurso na tribuna, Romão tentou esclarecer aos presentes que era necessário respeito no ambiente. “Eu acredito que aqui haja pessoas que foram orientadas por políticos para virem aqui e protestarem, mas o que estão fazendo é errado, pois são atitudes desrespeitosas que impedem que a sessão seja realizada de forma adequada”, salientou. Entre a provocações, os populares xingavam o vereador Gordo de Zelito (PP) de mentiroso, por ter apresentado as denúncias contra a prefeita. Os protestos acabaram  prejudicando tanto situação quanto oposição. Com a plenária lotada, até um grupo de policiais foi chamado para prevenir qualquer situação de violência ou retirar quem estivesse causando desordem.

Isso levou o presidente da Casa, Paulo Sargento (PDT), a finalizar a reunião mais cedo. Com a ata da reunião anterior aprovada, Paulo não esperou que todos os vereadores concluíssem seus discursos e encerrou o expediente. “Como já votamos a ata, que era a ordem principal da noite, e o público presente continua a atrapalhar, declaro encerrada a sessão”, pronunciou.

Fotos: Paulo Roberto/ BMF


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro