19 de setembro de 2017 às 22h11min - Por Mário Flávio

leva

Associação de Transportes de Passageiros (AETPC) divulgou na tarde desta terça-feira (19) os dados referentes a fraudes com o Cartão LEVA em Caruaru, no Agreste. Nos últimos quatro anos, desde que a bilhetagem eletrônica foi implantada na cidade, 4.355 cartões já foram bloqueados por uso indevido.

De acordo com o presidente da AETPC, Adolfo José, para não pagar passagens nos ônibus, muitos usuários do transporte público utilizam, indevidamente, um benefício que não é seu. “A gratuidade nos ônibus é um direito concedido apenas aos idosos e as pessoas com deficiência. Já a meia tarifa é destinada para os estudantes e servidores públicos. Usar esses cartões de forma indevida é crime”, disse.

Ainda segundo Adolfo, cometer fraudes como pular catraca ou usar um benefício de forma indevida, prejudica o transporte público, causando danos a todos os usuários. “Isso ocorre porque além de causar superlotação nos ônibus, aumenta o valor da tarifa. A tarifa é calculada tomando como base o trajeto e a quantidade de pessoas catracadas. Assim, se as passagens não forem computadas corretamente, o usuário pagante acaba sendo o maior prejudicado”, disse.

Para evitar esse tipo de fraude, a AETPC intensificou a fiscalização e desenvolve uma campanha de conscientização sobre o uso correto dos cartões LEVA, além da ação itinerante para levar aos moradores dos bairros, acesso ao cartão comum. “A utilização do cartão LEVA Comum tem como principal finalidade promover a retirada da circulação de dinheiro dentro dos ônibus, garantindo maior agilidade ao passar nas catracas além de diminuir o risco de assalto aos ônibus”, disse Adolfo.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro