1 de fevereiro de 2018 às 21h08min - Por Mário Flávio

Os trabalhos legislativos foram retomados na Casa de Joaquim Nabuco na tarde desta quinta (1°), com a instalação da 4ª e última Sessão Ordinária da 18ª Legislatura. A ocasião foi marcada pela leitura da Mensagem do Governador pelo secretário da Casa Civil, Nilton Mota, e também pelo discurso do presidente da Assembleia, deputado Guilherme Uchoa (PDT), que fez um balanço das atividades dos últimos três anos e falou sobre as expectativas para Pernambuco em 2018. Os líderes do Governo e da Oposição, deputados Isaltino Nascimento (PSB) e Sílvio Costa Filho (PRB), apresentaram, respectivamente, as ações e aspirações de suas bancadas.

Oposição e Governo – O líder da Oposição queixou-se do fato de o governador Paulo Câmara e do vice-governador Raul Henry – que entram no último ano de mandato – não terem vindo pessoalmente à Alepe. Sílvio Costa Filho disse que, em 2018, o chefe do Poder Executivo “tem um encontro marcado com o seu programa de Governo”.

“Tenho plena convicção de que, em 2014, o governador foi eleito sobretudo pelo componente ‘emoção’, por tudo o que vivenciamos na campanha. Mas, agora, ele sabe que chegou o tempo da razão em Pernambuco”, analisou. O parlamentar criticou “a piora nos números da segurança pública, a paralisação de obras públicas, as dificuldades fiscais do Estado e o débito bilionário do Executivo com fornecedores”.

O líder do Governo minimizou as críticas. Isaltino Nascimento lembrou que os três anos da atual gestão coincidiram, no plano nacional, com “o período mais ácido e duro da história da República”. “A despeito de todas as dificuldades, Pernambuco cresceu mais de quatro vezes que a média do País”, enfatizou, destacando também “a contratação de novos policiais, a geração de empregos no Estado acima da média nacional e a aplicação de recursos extras em saúde e em educação”.

“Esse esforço demonstra a opção política do governador Paulo Câmara de navegar contra a maré do Governo Michel Temer”, avaliou Nascimento. Para ele, a agenda do Executivo Federal tem se traduzido em menos investimentos na administração pública e recuos em projetos para promoção do desenvolvimento econômico. “Estamos mostrando que o caminho contra o entreguismo é priorizar o serviço público e a sociedade Pernambucana.”


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro