6 de junho de 2012 às 07h00min - Por Mário Flávio

Hérlon Cavalcanti ressalta que tendência Mensagem ao Partido reconheceu Zé Queiroz como melhor opção

Na terça-feira (05) à tarde o blog já havia adiantado que o PT de Caruaru decidiu enfim declarar seu apoio formal à base da Frente Popular no município, encabeçada por Zé Queiroz. Aliás, o diretório petista já reconhece o prefeito como pré-candidato à reeleição. Mas, algo que merece destaque nessa articulação é que a própria tendência Mensagem ao Partido, representada por Rogério Meneses e Hérlon Cavalcanti, e que conta com a maioria dos membros na Executiva do diretório, admitiu que Queiroz é a melhor opção, mesmo que Rogério mantenha sua postura crítica à gestão Zé Queiroz.

“O PT vai apoiar o prefeito, não tem outra opção”, essas são as palavras do violeiro Rogério Meneses, numa postura ácida à Queiroz. Mais ponderado, Hérlon Cavalcanti declarou que após uma série de reuniões com a tendência, além das próprias reuniões do diretório municipal, ficou definido que o melhor rumo para Frente Popular em Caruaru é apoiar o nome de Zé Queiroz para reeleição. “Já vinham sendo realizadas várias reuniões, em um processo democrático em que discutimos qual seria o melhor rumo para o PT, qual o melhor caminho que entendemos para a Frente Popular e as quatro tendências chegaram ao consenso de que deve apoiar Queiroz como candidato da Frente Popular,algo que contou com reuniões entre os membros da executiva e do próprio presidente Vanuccio Pimentel com o prefeito”, explicou Hérlon.

Além disso, ele comentou que a tendência da qual faz parte chegou a esse consenso sem maiores entraves, e que mesmo

Rogério Meneses

Paulo Roberto/ BMF

Rogério Meneses entendeu que o grupo estava livre para decidir o que considerava ser a opção mais adequada. “Eu mesmo, como representante do grupo, junto com Divanilson Galindo, havia me reunido duas vezes com Douglas Cintra e três vezes com Zé Queiroz, para que debatêssemos essa concretização do apoio do nosso grupo a Queiroz e foram reuniões em que mostramos nossas insatisfações e discutimos as propostas que pensamos para a gestão do município”, afirma Hérlon, que dessa forma, dá a entender ter sido uma espécie de condutor da Mensagem ao Partido para fazer as pazes com Queiroz, ainda que Rogério ressalte a decisão coletiva, e não individual.

“Não podemos colocar Hérlon como uma influência total ou parcial para essa decisão do grupo, em nossas últimas reuniões, eu  deixei o grupo livre para decidir o que considerava melhor para o partido e houve esse consenso em grupo”, salienta Rogério. O curioso é que essa tendência tem 7 dos 11 membros da executiva do PT municipal, o que significa que, mesmo que houvesse representantes de outras tendências que votassem contra o apoio ao prefeito, a executiva por si só teria condições de decidir o apoio do PT pela maioria dos votos. Essa situação era complicada para Zé Queiroz quando Lícius Cavalcanti (PCdoB) tentava construir sua pré-candidatura e Rogério apostava que essa ideia vingaria. Agora, a aposta se inverteu.

 


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro