1 de agosto de 2017 às 07h07min - Por Mário Flávio

img_8868.jpg

O presidente Michel Temer deve exonerar temporariamente nesta terça-feira (1) os ministros que têm mandato de deputado para que eles possam votar contra a denúncia do Ministério Público Federal para que ele seja processado por crime de corrupção passiva.

Entre os que serão exonerados estão três dos quatro de Pernambuco: Mendonça Filho (Educação), Fernando Filho (Ciência e Tecnologia) e Bruno Araújo (Cidades). A exceção é Raul Jungmann (Defesa), que chegou à Câmara Federal como suplente.

Segundo o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), “é muito provável que o presidente da República faça com que os ministros que têm mandato junto à Câmara dos Deputados possam estar presentes durante a votação”.

A declaração foi dada nesta segunda-feira (31), em Salvador, após assinatura do contrato de financiamento da segunda etapa das obras do BRT (Bus Rapid Transit), na capital baiana, que terá início a partir de 2018. Além de Imbassahy, estiveram presentes ao ato o prefeito ACM Neto (DEM) e o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB).

Segundo Imbassahy, a denúncia contra Michel Temer foi rejeitada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal por ser “frágil e vazia”.

“Resta agora às oposições, se tiverem quórum, que aparentemente não têm, modificar essa posição da CCJ. Então a nossa posição é de muita tranquilidade e de muita serenidade. O que interessa aos brasileiros é a estabilidade na política, a reconstrução da economia, a recuperação dos empregos e a renda das nossas famílias”, declarou Imbassahy.

Para o ministro Bruno Araújo, “o Brasil precisa fazer uma transição para a próxima eleição presidencial com estabilidade e serenidade. É o que uma parte do partido (PSDB), que defende isso, almeja”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro