Recorde de inscritos no seminário sobre segurança realizado pela Assembleia Legislativa

Mário Flávio - 03.09.2022 às 08:57h

Com a participação de autoridades policiais do Estado e de outras cidades do país, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) concluiu 1º seminário “Contribuições do Poder Legislativo Estadual à Segurança Pública em Pernambuco”. Durante dois dias os participantes trocaram experiência e capacitação sobre temas relacionados à prevenção, combate ao crime organizado e discutiram problemas de saúde mental de integrantes das forças policiais.

Nesta sexta-feira (2), segundo dia de debates, temas como a gestão do sistema prisional de Pernambuco e o combate às facções criminosas e ao tráfico de drogas no Rio de Janeiro foram amplamente discutidos. A apresentação do painel sobre “Profiling Criminal”, que usa técnicas de psicologia para traçar de maneira célere o perfil do criminoso, também foi outro assunto de destaque no seminário.

De acordo com o professor e palestrante Dennis Lino, especialista em Psicologia Investigativa e Forense, o trabalho tem a finalidade de identificar características do agressor com base nos vestígios comportamentais. A disseminação dessa prática, segundo o especialista, inclui treinamento e melhoria da produção e do acesso às bases de dado.

“Usando conceitos e definições que vêm da Psicologia, é possível construir um perfil que auxilia a direcionar o trabalho policial, apontando os principais suspeitos e as linhas de investigação mais coerentes”, argumentou Lino.

Secretário executivo de Ressocialização de Pernambuco (Seres), Cícero Rodrigues foi um dos palestrantes do seminário. O gestor detalhou sua experiência à frente do sistema penitenciário estadual e destacou dados da série histórica de 2007 a 2019. Chamou a atenção o aumento de 113% da população carcerária em Pernambuco a partir de 2007, ano que começou o programa Pacto pela Vida.

De acordo com Rodrigues, existem atualmente cerca de 34 mil presos no sistema carcerário de Pernambuco, sendo 32% por tráfico de drogas. “Há seis anos não temos uma rebelião. E saímos de 43 óbitos nas 23 unidades prisionais, em 2016, para apenas três ao longo deste ano”, informou.

A estabilidade do sistema ao modelo de gestão de resultados, segundo ele, é baseada na “Caravana Todos pela Seres”. “Temos nessa ferramenta dois planos: um de ação específica para cada unidade prisional, e um padrão para todas as unidades. Seguir esses planos tem feito a gente obter uma gestão de resultados”, explicou.

Guerra da informação

À frente da abordagem sobre “O narcotráfico, facções criminosas e a ampla divulgação das fake news por parte dos criminosos para confundir a população” esteve o tenente-coronel Uirá Ferreira, comandante do Batalhão de Operações Especiais da PM (BOPE) do Rio de Janeiro.

Segundo Ferreira, uma das maiores batalhas das forças de segurança do Rio é a chamada “guerra informacional” usada para desestimular e desacreditar as ações policiais. “O crime usa muito bem as redes sociais. As fake news se transformaram numa guerra de informação contra as ações policiais. Muitas vezes temos que defender as tropas dos questionamentos sobre as operações. É difícil contrapor essas narrativas falsas”, revelou.

O comandante do Bope também falou sobre as semelhanças entre a ação do tráfico e do crime organizado no Rio e em Pernambuco e defendeu a troca de informações entre as forças de segurança dos dois estados. “A facção que opera hoje em Ipojuca é oriunda do Rio de Janeiro. Ações como fechamento de comércio, barricadas, atear fogo em coletivos, são parecidas com as da facção que domina comunidades do Rio de Janeiro”.

Saúde mental na segurança

O cientista e professor do Departamento de Ciência Política da UFPE, Adriano Oliveira, encerrou o segundo dia do seminário falando sobre “Saúde mental e formação de lideranças em segurança pública”. Para ele, a segurança é uma questão que deve ser tratada com o envolvimento de toda a sociedade. Já o superintendente da Escola do Legislativo (Elepe), José Humberto Cavalcanti, fez um balanço positivo do seminário e destacou o nível dos palestrantes e a interação com o público. Ele agradeceu o apoio do presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PSB) para a realização do evento.