10 de abril de 2013 às 07h55min - Por Mário Flávio

A deputada estadual Raquel Lyra (PSB) comentou os recentes encontros que teve em Caruaru, um com o prefeito Zé Queiroz (PDT) e o outro com os vereadores que fazem parte da atual Legislatura. A socialista disse que sempre esteve a disposição do Chefe do Executivo na secretaria de Infância e Juventude e que a situação está mais ampla com o mandato de deputada.

No entanto, a socialista disse que as divergências entre ambos seguem e a falta de diálogo ainda é latente no Executivo Municipal. “Quando conversei com o prefeito não omiti as dibergências que temos, algumas públicas, como a ausência do diálogo em questões importantes, já colocadas anteriormente por mim e pelo vice-governador João Lyra. A falta de diálogo não é a nossa marca, fui para uma visita me colocar a disposição, mas isso não quer dizer que não existem divergências, o diálogo poderia ser melhor, já que a cidade precisa de discussão sobre situações importantes como a feira, o Alto do Moura e da zona rural”

“Não temos um diálogo aberto, eu votei em Wolney na eleição passada, fizemos uma dobradinha e obtive mais de 30 mil votos em Caruaru, mas a gente precisa conversar, é muito cedo para definir qualquer tipo de parceria, principalmente quando não existe diálogo. Sou candidata a reeleição, mas as lideranças de Caruaru precisam discutir além da questão eleitoral o desenvolvimento de Caruaru”

Ela ainda opiniou sobre a situação dos professores da Rede Municipal de Ensino. “É uma questão que se arrasta faz muito tempo, com isso gera um desgaste da relação do Poder Executivo com os professores, o que torna a situação prejudicial, principalmente para os alunos da Rede Municipal de Ensino, que estão com o ano letivo se encaminhando para o comprometimento, já que vamos ter a reposição de algumas aulas. Falei com o prefeito e ele me colocou informações que a prefeitura deve que fazer os ajustes necessários na Lei que foi aprovada na Câmara.

Me coloco a disposição para ser uma facilitadora ou mediadora nesse processo para buscar o consenso e que as aulas possam ser retomadas e que o tensionamento seja diminuido, ainda existe uma dificuldade com essa Legislação nova, mas minha assessoria está analisando a situação e o prefdeito me garantiu que algumas situações foram atendidas e disse que não pode ultrapoassar alguns pontos que dizem respeito a remuneração. Vou conversar com os secretários e com a categoria dos professores para tentar mediar esse assunto, mas só quero esclarecer que não tenho jamais a intenção de sibstituir o papel do Poder Executivo, que formou um grupo para solucionar, só tenho aintenção de mediar essa história”


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro