30 de maio de 2012 às 20h34min - Por Mário Flávio

Com informações do Blog do Magno

O discurso de Maurício Rands foi acompanhado por uma plateia que lotou o auditório do Sindsprev. Ele chorou e causou comoção aos militantes presentes, que também não seguram o choro que estava preso na garganta. Ao pé do ouvido, disse ao companheiro João Paulo que sentia a sensação de um dever cumprido.

Rands também sabe da missão que terá pela frente e foi, inclusive, lembrado pelo colega João Paulo de que terá que se dedicar de corpo e alma à campanha do senador Humberto Costa. “Como um dos principais articuladores e coordenador da campanha”.

Rands desabafou sobre todo o processo que viveu nesses dois últimos meses. Disse que sua candidatura não foi um projeto pessoal e que essa retirada representa também não sê-lo. “Não fazemos política pensando em carreiras pessoais, mas pensando num projeto. Ela surgia de uma necessidade que passa hoje o Partido dos Trabalhadores, e diria, da esquerda pernambucana, de fortalecer a política com um projeto a partir de uma ação coletiva, fundamentada em princípios, valores e programas…”. Ele informou também que sua candidatura representou uma nova composição no PT.

Ao final, Rands pediu que o prefeito João da Costa seguisse o mesmo caminho, de renunciar em nome de um projeto maior, o da unidade. Explicou que havia procurado o prefeito para informa-lhe de sua decisão e que, não sendo possível, mandou um torpedo. “Ainda vou procurá-lo para dialogar”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro