16 de março de 2020 às 21h24min - Por Mário Flávio

COMISSÃO EXECUTIVA ESTADUAL DO PT/PE

NOTA

  1. A Executiva Estadual do PT de Pernambuco, reuniu-se no dia de hoje, para debater a Resolução do Diretório Nacional da última sexta-feira, dia 13, relativamente às candidaturas a prefeituras das capitais nordestinas, com o objetivo de avaliar os impactos internos e externos causados pela citada decisão, bem como para consensuar encaminhamentos que norteiem a atuação da Executiva Estadual e para propor esse debate no Diretório Estadual.
  2. O nosso primeiro consenso foi quanto à nossa reação crítica à forma, ao processo e ao prazo da citada decisão nacional, que desconheceu os acertos havidos com o GTE Nacional quanto ao calendário para o debate da tática eleitoral no Diretório Municipal do Recife e no conjunto do Estado. De fato, a decisão rompeu com os acertos havidos e, por consequência, dificultou o diálogo em curso, internamente no PT/PE e junto aos partidos aliados,
  3. A tática eleitoral em 2020 se relaciona a todo o Estado de Pernambuco e não apenas ao Recife, embora a capital seja um fator estratégico para a política do PT/PE no Estado e, obviamente, para a estratégia nacional do nosso partido. Por isso mesmo, a precipitação na decisão nacional, tensionou a unidade interna e a harmonia com os partidos aliados, gerando duros impactos, que vamos tentar administrar para reduzir danos. Esse foi o segundo consenso na reunião da CEE.
  4. A Direção Estadual do PT vem conduzindo um amplo processo de debate com os diretórios municipais pernambucanos, inclusive com o do Recife, com as nossas lideranças estaduais e forças politicas, com os movimentos sociais. Esse ciclo interno, preparava o diálogo com os partidos aliados sobre as posições e alianças possíveis de serem construídas em todo o Estado. Também esse diálogo foi afetado pela decisão nacional fora do prazo e do roteiro consensuado conosco.
  5. Temos sintonia plena com a visão nacional de que as eleições de 2020 têm um papel fundamental no enfrentamento das forças ligadas ao governo de extrema-direita e com a reação articulada frente às suas evidentes tentativas de golpear a democracia e as instituições brasileiras, bem como de suprimir conquistas históricas do nosso povo e de sacrificar a soberania de nosso País.
  6. Também concordamos que o Nordeste e a natureza combativa e progressista do povo nordestino desempenham um papel essencial nesta luta. Entretanto, como reconheceu o item 04 da Resolução do DN, a vitória sobre as forças fascistas exigem uma unidade nacional com partidos e com movimentos sociais do campo popular, democrático e progressista.
  7. Assim, com todo o respeito ao nosso DN, não podemos permitir que essa unidade seja prejudicada por decisões internas unilaterais, sem atentar para os processos de diálogo, de transições e de construção progressiva, seja internamente ao PT, seja externamente com os aliados, em todo o País e, também, em Pernambuco. Com efeito, as ameaças ao povo brasileiro não poderão ser vencidas por nenhuma força progressista isoladamente e isso demanda articulação e entendimentos, não apenas no plano nacional, mas em especial nos municípios e nos Estados.
  8. Diante disso, nos preocupa que a decisão do DN não tenha considerado os efeitos causados às dezenas de candidaturas a prefeituras e às câmaras municipais em todo o Pernambuco, que são indispensáveis ao fortalecimento do nosso Partido e que, em sua ampla maioria, vêm sendo construídas através de diálogos e de entendimentos com diversos partidos do nosso mesmo campo político. Precisamos, agora, escutar novamente o conjunto de nossos candidatos, ouvi-los e avaliar os impactos da decisão nacional sobre os entendimentos em cada município.
  9. Com essas preocupações e atenta à sua tarefa de coordenar a construção da tática eleitoral para todo o Estado, e não apenas para a Capital, a Executiva Estadual aprovou os seguintes encaminhamentos, sem prejuízo de outros que sejam consensuados nos próximos dias :

9.1. Posicionar perante o Diretório Nacional as nossas preocupações e o posicionamento crítico sobre a forma e sobre o processo que levou à Decisão do último dia 13, com seus duros impactos nas relações internas e externas do PT-PE;

9.2. Apoiar a decisão do Diretório Municipal do Recife de realizar o Encontro Municipal na data anteriormente marcada, para que os filiados e dirigentes possam exercer o seu protagonismo de debater e de propor a tática eleitoral que contemple a sua maioria para as eleições de 2020 no Recife;

9.3. Convocar os Prefeitos(as) do PT/PE e os Candidatos Majoritários em todo o Estado para ouvi-los sobre a Decisão Nacional e sobre os encaminhamentos e posicionamentos dela decorrentes;

9.4. Retomar, com urgência, um diálogo com as direções estaduais dos partidos aliados para discutir os efeitos da decisão nacional e, em especial, para avaliar o quadro eleitoral e político no conjunto dos municípios pernambucanos, definindo os locais e as condições nas quais as alianças serão possíveis;

9.5. Convocar o Diretório Estadual do PT/PE para o dia (…), tendo como principal pauta o debate sobre o mapa eleitoral e político do PT em Pernambuco, bem como para debater a decisão do DN e os seus impactos.

Recife, 16 de março de 2020

COMISSÃO EXECUTIVA ESTADUAL DO PT/PE


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro