15 de abril de 2015 às 08h25min - Por Mário Flávio

  

Um mandado de segurança ajuizado pelo PSOL pretende garantir o direito de greve dos professores estaduais de Pernambuco. A ação judicial foi anunciada pelo deputado Edilson Silva, integrante do partido, nesta terça (14), no Plenário da Assembleia. Para ele, o Governo do Estado está se utilizando de abuso de poder para responder ao movimento legítimo do magistério.

Segundo o parlamentar, o Poder Executivo publicou uma portaria em que ameaça cortar o salário dos professores que não voltarem a trabalhar, além de alterar a data de remuneração dos grevistas. 

As medidas também abrangem o rompimento de contratos temporários e a transferência de profissionais que atuam nas escolas de referência.

Edilson Silva lembrou que o direito de greve é garantido pela legislação brasileira e ressaltou que o movimento ainda não foi considerado ilegal para que o Governo adote medidas tão arbitrárias e truculentas. Ele afirmou que está instruindo os professores a ingressarem com ações individuais na Justiça, defendendo que os profissionais estão sofrendo assédio moral.

Sílvio Costa Filho (PTB) demonstrou indignação em nome da bancada oposicionista da Assembleia. 

Teresa Leitão (PT) afirmou que a portaria do Governo se assemelha aos decretos da ditadura militar, criticando o autoritarismo com que os professores têm sido tratados. Priscila Krause, do Democratas, lembrou que a promessa de campanha do governador Paulo Câmara, de dobrar o salário dos professores, não está sendo cumprida. 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro