8 de abril de 2015 às 11h04min - Por Mário Flávio

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Diante da decisão do primeiro secretário, John Silva, em entregar o cargo se faz necessários alguns esclarecimentos. Primeiro que estamos numa democracia e ele tem todo o direito de deixar o Conselho. Desde a eleição da Conferência Municipal de Transporte que inúmeros problemas foram apresentados pela Associação dos Moradores do Bairro Severino Afonso e questionada por alguns membros do Conselho.

No entanto, devido a importância do Bairro para o contexto local, entendemos que haveria a necessidade da permanência da entidade no COMUT. Por perceber em John uma pessoa antenada com as discussões sobre a cidade, pessoalmente sugeri o nome dele para a função de 1°secretário. Quando ele aceitou e foi eleito ficou claro que o COMUT tem transparência e objetividade nas discussões, com a criação da Fan Page e ampla divulgação dos fatos na imprensa.

É falsa a acusação que existe interferência do Executivo. Por várias vezes apresentamos situações para cobrar ações emergenciais de mobilidade, como é o caso dos corredores exclusivos de ônibus. As reuniões do Conselho foram descentralizadas e o COMUT foi para os bairros, justamente para ficar mais transparente e próximo da população.

No entanto, o dinamismo que víamos na pessoa de John foi apenas na teoria. Na prática a ausência dele foi em quase 100% das reuniões. Por várias vezes, o preenchimento da ata, uma das funções do 1º secretário, foi feita por Erivaldo, que é do Sindecc. Os ofícios enviados pela Associação foram todos acolhidos pelo Conselho e encaminhados para os órgãos competentes tomar as providências.

Temos pessoas sérias no COMUT e é lamentável o nível baixo das acusações de cooptação. Todas as reuniões do COMUT são abertas ao público e imprensa, com o SINDECC, por exemplo, registrando a tudo por meio de imagens. Enxergar o COMUT como uma entidade que se reúne apenas para discutir aumento de tarifa é ver a cidade com uma visão pequena. A mobilidade é uma questão macro e várias considerações estão sendo feitas lá para serem levadas as autoridades competentes.

O que não pode ocorrer é transformar o Conselho em campo de batalha política, para atingir a interesses de quem tem pretensões de sair candidato em 2016, isso nunca iremos permitir. Tal situação deve ter incomodado ao ex-secretário, que por não ter esse tipo de espaço, preferiu deixar o Conselho.

Iremos seguir com o trabalho a frente do COMUT, já que há muito a ser feito.

Att,

Ricardo Henrique, presidente do COMUT.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro