14 de março de 2012 às 16h23min - Por Mário Flávio

Pela manhã desta quarta-feira (14), os agentes e guardas municipais da Destra decidiram permanecer em greve, apesar da notificação da Justiça de Pernambuco, através do juiz José Fernando, ter emitido uma liminar considerando a greve ilegal e abusiva. A decisão dos grevistas esteve amparada na ação do SISMUC de entrar com um agravo para eliminar a decisão inicial, entrando com um recurso de contestação. Na versão da prefeitura municipal de Caruaru, manter a greve é lamentável e é uma atitude de total responsabilidade do sindicato. Não é bem assim nas palavras de Eduardo Mendonça, presidente do SISMUC.

“Claro que o sindicato é responsável, afinal ele ampara a luta pelos direitos dos grevistas, mas quem definiu manter a greve foi a categoria como a imprensa que estava presente no momento pôde conferir pela manhã. Tratou-se de uma votação. Sindicato algum vai mandar realizar ou parar uma greve, trata-se de uma decisão democrática e vamos esperar o resultado do agravo para contestar a liminar judicial”, explicou Eduardo.

A prefeitura também salientou na nota que são mentirosos os boatos que circularam, pela manhã, entre os próprios grevistas, de que poderia haver perseguição contra os agentes e guardas que comandam as ações da greve. “Partiu da Prefeitura a proposta de criar uma mesa permanente e paritária, com capacidade de ampliar o diálogo entre as partes”, citou o comunicado, mas Eduardo Mendonça também rebate essa afirmação. “Tanto o secretário de Administração, quanto o presidente da Destra e o prefeito não estão abrindo o diálogo. O secretário (Toninho) não me envia uma linha de diálogo da negociação e eu mesmo me prontifico de entrar em contato com a prefeitura para abrir essa mesa de diálogo, porque se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé”, retrucou.

NEGOCIAÇÃO – Em nota enviada ontem, terça (13), a prefeitura informou que 13 dos 14 pontos reivindicados já foram atendidos, sendo que estaria faltando apenas negociar a questão salarial. A prefeitura ofereceu 15% de reajuste, que somariam 12,8% de ajuste inflacionário, referente a 2010 e 2011, e mais 2,2% de ganho real imediato, segundo informou o SISMUC. No entanto, os grevistas reivindicam 20% de ganho real, além dos 15% de reajuste de inflação.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro