7 de janeiro de 2016 às 11h28min - Por Mário Flávio

NOTA OFICIAL – O município de Gravatá, no Agreste, conta, atualmente, com uma rede de 62 escolas, sendo 17 na zona urbana e 45 na zona rural. Das 45 escolas da zona rural, 40 funcionam em sistema de turmas multisseriadas, ou seja, estudantes do 1º ao 5º ano numa mesma sala de aula, com uma professora para atendê-los. Em alguns casos, crianças pequenas da Educação Infantil junto com Ensino Fundamental do 1º ao 5º ano. O Decreto Presidencial 7352 de 2010 em seu artigo 7°, Inciso I, afirma a necessidade das turmas multisseriadas quando o direito à educação assim o exigir.

Segundo dados do Ministério da Educação (Prova Brasil 2013), apenas 20% dos estudantes dos Anos Iniciais em Gravatá alcançam o conhecimento adequado ao termino do 5º ano em Língua Portuguesa e 16% em Matemática, conforme dados da Prova Brasil. A meta é 70% para 2022. Esses resultados nos preocupam muito pois estão abaixo da média de desempenho do Brasil e de muitos municípios de Pernambuco.

Além do baixo resultado nas avaliações externas: estadual (Saepe) e nacional (Prova Brasil), elevados indicadores de distorção idade série, reprovação e evasão escolar precisam de atenção especial em todos os níveis e modalidades. Vários fatores convergem para estes dados necessitando, assim, de um olhar acurado sobre cada escola do município.

O Reordenamento que a Secretaria Municipal de Educação propõe ao município de Gravatá é justamente para dar mais qualidade à educação garantido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Básica (LDBEN). As turmas multisseriadas devem atender estudantes onde não haja outra forma de organização escolar.

Apesar da urgência nas ações, pelo fato de Gravatá estar passando por um processo de Intervenção, foram tomados os cuidados necessários para avaliar em quais situações, neste momento, o reordenamento irá ser realizado. Nos locais onde não há escolas próximas para que os estudantes possam estar em seus anos ou ciclos adequados será, portanto, mantida as turmas multisseriadas.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro