Prefeito reeleito de Igarassu reduz de 15 para 11 o número de secretarias

Mário Flávio - 27.01.2017 às 07:03h

Mário-Ricardo-reprodução-internet

O prefeito reeleito de Igarassu, Mário Ricardo (PTB), anunciou nesta quinta-feira (26) a redução de 15 para 11 no número de secretarias como forma de reduzir despesas. Após as mudanças no organograma da prefeitura, ficaram apenas os seguintes secretários:

Amaury Henrique – Cidades
Ivison Marcelo – Políticas Sociais
Patrícia Amélia – Saúde
Andreika Asseker – Educação
Roberto Siqueira – Governo
Dário Uchikawa – Gestão Integrada
Hercílio Victor Neto – Fazenda
Christiane Huggins – Comunicação
Adriana Nóbrega – Meio Ambiente
Robson Neves – Desenvolvimento Econômico
Wladmir Calado – Turismo e Cultura.

Na véspera do anúncio, o prefeito declarou ter herdado uma dívida do seu antecessor, Gesimário Baracho, superior a R$ 50 milhões. O ex-prefeito Yves Ribeiro (PSB), padrinho de Baracho, à época, tomou as dores do seu pupilo e enviou a seguinte resposta:

Quero me reportar ao nobre jornalista, por quem tenho apreço e admiração, com o objetivo de me contrapor às informações infundadas e sem aderência com a realidade prestadas pelo prefeito de Igarassu, Mário Ricardo, à sua coluna “Fogo Cruzado”, desta quinta-feira (26).

O prefeito falta com a verdade ao afirmar que herdou dívidas deixadas por gestões anteriores. Como sabe, não é à toa que tenho todas as contas aprovadas pelo TCE, porque sempre tive zelo com a coisa pública e mantive em minhas gestões o equilíbrio das contas públicas.

Ao contrário do que foi dito, deixei mais de R$ 20 milhões em caixa e um saldo de R$ 16 milhões na previdência. Além disso, com salários em dia e a folha de fornecedores e prestadores de serviços quitados.

Descaradamente, o prefeito fala em aperto, em redução de despesas. Mas esqueceu de dizer que no ano passado desviou R$ 10 milhões dos cofres da previdência para realizar despesas correntes e contraiu empréstimos de R$ 10 milhões junto ao BNDES, que ajudaram ainda mais a afundar o município em dívidas.

Agora, o prefeito fala em ajuste financeiro, mas isso não passa de piada de mau gosto.
Cordialmente,

Yves Ribeiro