Policiais militares embarcam para reforçar segurança nas eleições no interior de Pernambuco

Mário Flávio - 30.09.2022 às 17:29h
Foto: Divulgação

Foi realizado, nesta sexta-feira (30), o embarque das tropas que irão reforçar o policiamento nas cidades do interior de Pernambuco. 1.563 policiais militares irão se unir ao efetivo já lotado nas cidades às quais se destinam a fim de garantir a segurança e tranquilidade do processo eleitoral.

O grupo se reuniu na manhã desta sexta-feira (30) no campo do Quartel do Comando Geral (QCG), no bairro do Derby, área central do Recife, e ouviu as orientações do Diretor de Planejamento Operacional, coronel Ronaldo Tavares, antes de seguir viagem.

“Todo este pessoal vai trabalhar em regime de jornada extra, não prejudicando o policiamento ordinário, realizado normalmente no estado. Além disso, os PMs que estão sendo mobilizados são os que trabalham administrativamente ou encontram-se de folga e de férias”, afirmou o coronel.

“Serão 3.288 locais de votação e a Polícia Militar se fará presente em todos eles. Além disso, serão ativados os Centros Integrados de Comando e Controle, no Recife, Caruaru e Serra Talhada, locais de monitoramento em tempo real de todo o esquema de segurança. Sem falar que todas as operativas, como o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Científica, entre outros órgãos, estarão nas ruas mobilizadas para dar tranquilidade a todos os eleitores”, disse.

No total, sete ônibus saíram do quartel em direção a municípios da Zona da Mata, Agreste e Sertão pernambucanos. Outros policiais militares se deslocaram por meios próprios. Do 5º Batalhão da PM, sediado em Petrolina, saíram mais dois ônibus, que seguiram para cidades próximas.

No total, para o primeiro turno, serão feitos de hoje a domingo, 27.850 lançamentos, em todo o estado. No domingo, dia do primeiro turno, serão 9.625 policiais militares envolvidos com a segurança e supervisão dos locais de votação, apoio à Justiça Eleitoral nos fóruns e cartórios, apoio a juízes, além de um efetivo que ficará de prontidão.

Segundo o coronel Ronaldo, “a Polícia Militar estará presente para coibir atitudes como boca de urna, brigas e insultos, e a pessoa que vir a infringir poderá incorrer em crime eleitoral, sendo detida e encaminhada à delegacia para adoção das medidas legais”.