9 de dezembro de 2020 às 06h25min - Por Mário Flávio

Um mapeamento interativo da produção pernambucana de artes visuais, feito a partir de um exercício de curadoria coletiva. A partir dessa proposta, acaba de ser lançada a plataforma Extrato (http://extrato.art), iniciativa de base tecnológica em que artistas podem criar e atualizar seus portfólios, compartilhar trabalhos, biografias e links da sua produção artística e publicar textos e eventos no campo da arte.

A inovação foi criada e produzida por um time que conta com a artista visual Isabela Stampanoni, 
o web designer Diogo Andrade e o arte-educador Hassan Santos. O nome Extrato remete ao conceito de concentrar, reunir e listar informações a fim de propiciar pesquisa, discussão e difusão da arte. “É um espaço de convergência para que artistas compartilhem entre si e com o público suas narrativas e poéticas diversas”, observa Isabela Stampanoni.  

Selecionado para fomento pelo edital Funcultura Geral (2017/2018), o projeto nasceu para suprir a ausência de um espaço virtual que concentrasse essas informações. “A maior parte do conteúdo relativo à produção contemporânea de artes visuais está nas mídias sociais, fragmentados em ilhas não indexadas por buscadores como o Google, o que dificulta a disseminação“, observa Diogo Andrade.  

No processo de curadoria coletiva, artistas são convidados a experimentar os recursos disponíveis na plataforma e podem convidar outros artistas, compartilhando convite/senha que permitem cadastramento gratuito. O conteúdo é aberto ao público, para que se dissemine via sistemas de busca e funcione como espaço de fruição e pesquisa, gerando conexões organicamente.

Apesar de ter sido concebido sem fins comerciais, o Extrato já revela potencial para alinhar-se à tendência internacional de art techs, em que startups têm se dedicado à formação de redes disruptivas, gerando pontes entre artistas e demais atores do mercado, como curadores, colecionadores e investidores.    

Estamos abrindo uma nova janela, não prevista no projeto inicial: a possibilidade de ofertar obras à venda via da plataforma. O artista poderá escolher se deseja lidar diretamente com o interessado na compra ou se prefere o intermédio da equipe do Extrato para negociar. Ainda em desenvolvimento.“, comenta Diogo Andrade. 

Usufruindo do alcance global da internet a estratégia de divulgação do projeto irá oferecer a arte pernambucana para além das fronteiras do estado e do país. Uma campanha online pretende atingir o público de cidades do Brasil e de capitais internacionais: Nova Iorque, Milão, Tóquio, Ottawa, Paris e Berlim.

Um happening de lançamento acontece no dia 10/12 (quinta-feira), às 20h. No encontro virtual que acontece dentro da própria plataforma, um vídeo chat promoverá a navegação e conversa entre equipe, artistas e público.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro