PF faz buscas na casa de chefe do setor de presentes da presidência no governo Bolsonaro

Lucas Medeiros - 12.05.2023 às 13:55h
(Imagem: Divulgação/ Reprodução)

Agentes da Polícia Federal cumpriram, nesta sexta-feira (12), mandado de busca e apreensão na casa de Marcelo da Silva Vieira, que era responsável pela classificação de presentes recebidos pelo presidente da República na gestão de Jair Bolsonaro (PL).

A operação ocorre no Rio de Janeiro, dentro das investigações sobre a destinação das joias dadas pelo regime da Arábia Saudita e que deveriam ser incorporadas ao acervo do governo brasileiro.

Com a função de revisar o que poderia ser aceito como presente para o acervo privado presidencial, Marcelo Vieira era funcionário do Gabinete Adjunto de Documentação Histórica da Presidência da República desde o governo de Michel Temer (MDB). Ele foi demitido em janeiro, após a posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em depoimento à PF, Marcelo disse que Bolsonaro participou de um telefonema, em dezembro de 2022, em que o seu ajudante de ordens, o tenente-coronel Mauro Cid, pedia que o então funcionário do Gabinete Adjunto de Documentação Histórica da Presidência assinasse um ofício visando a liberação de um estojo de joias milionárias dadas pelo governo da Arábia Saudita e retido pela Receita Federal no aeroporto de Guarulhos (SP).

Mauro Cid enviou ofício para Vieira em 27 de dezembro, três dias antes de Bolsonaro deixar o Brasil e partir para os Estados Unidos, e em meio à operação casada entre o gabinete de Bolsonaro e a chefia da Receita Federal para recuperar as joias. Vieira não aceitou assinar o documento. Por isso, segundo ele, Mauro Cid decidiu fazer uma ligação.

Marcelo Vieira contou à PF que “Mauro Cid colocou a ligação no modo viva-voz e pediu ao declarante para que explicasse ao presidente da República essa situação e por que não poderia assinar”. Conforme seu depoimento, o então assessor da Presidência deu explicações técnicas sobre a impossibilidade e Bolsonaro repondeu apenas com um “Ok, obrigado”.

Um dos alvos da PF nesta sexta-feira é o celular de Vieira, que, apreendido, deverá ser submetido à perícia.