1 de abril de 2020 às 10h45min - Por Mário Flávio

Entre os dias 24 e 30/03, 220 lideranças empresariais filiadas ao LIDE Pernambuco, das quais 115 faturam acima de R$ 50 milhões por ano, responderam a pesquisa LIDE COVID-19, cujo objetivo era entender o impacto inicial da crise que o Brasil, e o mundo, vivem em função do coronavírus.

Sob o comando de Drayton Nejaim, a pesquisa foi viralizada no Estado e contou com a participação de empresas com expressiva representação do PIB Pernambucano.

Confira alguns resultados obtidos:

– 20% reduziram a jornada;

– 25% estão em home office com todos os colaboradores;

– 25% estão em homeoffice com até 70% dos trabalhadores; 

– 30% já deram férias coletivas.

Segundo os empresários ouvidos, o maior impacto negativo do covid-19 se dá em cima do faturamento da empresa. Cento e vinte empresários (54,5% dos entrevistados) responderam que o coronavírus está afetando a entrada de novas receitas e 67 deles (30%) informaram que há também o desafio de gestão e de adaptação de rotina.

Em relação a duração da crise: 25,5% acham que será de 60 dias; 25% acham que será de 90 dias; 22% acham que será entre 3 e 6 meses.

Para passar pela crise, a maioria (30%) informou que o jeito será cortando custos, seguidos daquelas que vão renegociar com fornecedores (20%) e dos que vão adotar novas estratégias comerciais (19%). Redução de funcionários é previsto por 12% dos entrevistados e outros 10% dizem que vão injetar capital no negócio. Apenas 3% dos entrevistados disseram que não estão preparados para a crise do coronavírus.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro