27 de fevereiro de 2013 às 10h25min - Por Mário Flávio

Dr. Demóstenes - FOTO - VLADIMIR BARRETO (1)

O líder da base do governo na Câmara de Caruaru, Dr. Demóstenes (PSD), saiu animado da reunião que a bancada de situação teve com a secretária de Saúde Aparecida Souza, por intermédio do secretário de Relações Institucionas, Marco Casé (PTB), na segunda-feira (25). A reunião segue a premissa de aproximar os vereadores governistas da nova gestão do prefeito Zé Queiroz (PDT) e, com isso, evitar reclamações de falta de diálogo que surgiam na legislatura passada. Pena que não foi feito algo assim antes da votação do PCC dos servidores da educação.

“Não apenas a Saúde, mas todas as secretarias vão se reunir para que os vereadores da base possam saber quais exatamente são as funções de cada secretaria. No caso da Saúde, a reunião serviu para que Aparecida e sua equipe orientassem os vereadores para entenderem como está funcionando a secretaria. Isso foi bom porque a gente soube de detalhes que não conhecíamos do ponto de vista técnico, e poderemos adaptar isso para o ponto de vista político”, justificou o líder do governo, que também reforçou que esses encontros servirão para dar munição à base do governo contra a artilharia da oposição. Vale lembrar que semana passada o vereador Neto (PMN) fez duras críticas às instalações da Policlínica do Salgado e já solicitou ao presidente da Casa, Leonardo Chaves (PSD), um aparelho de Datashow para apresentar imagens.

Demóstenes disse que é preciso criticar com fundamentação. “Qualquer forma em que o governo puder municiar os vereadores de informação, é importante para que nos defendamos do ataque da oposição. Não acreditamos naquele ataque gratuito. Acho que a oposição deve ter uma crítica construtiva, é criticar, ver o que precisa ser melhorado e mostrar a solução, é o papel da verdadeira oposição em qualquer lugar do mundo”, ressaltou.

Ainda assim, questionado se não se faz necessário que a Secretaria de Relações Institucionais também estenda esse diálogo com a oposição, Demóstenes adotou um discurso generalizado. “Olha, isso poderá ser feito, mas depende do secretário de relações institucionais, mas dentro do governo como um todo deve haver a intenção de mostrar não só à base do governo e à oposição, mas à toda sociedade como estão funcionando todas as secretarias do governo e acredito que esse momento chegará”, completou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro