Oposição na Assembleia faz relatório sobre 100 dias do governo Raquel e apresenta possíveis soluções

Mário Flávio - 20.04.2023 às 08:34h

Um documento contendo uma análise sobre os primeiros cem dias do Governo Raquel Lyra foi distribuído em Plenário, nesta quarta, pela líder da Oposição na Assembleia Legislativa, Dani Portela, do PSOL. A parlamentar afirmou que a intenção da iniciativa não é apontar erros, mas sugerir ações ao Governo para que as políticas públicas sejam mais efetivas. Na avaliação de Dani, a gestão atual teve um início conturbado, com uma equipe de transição reduzida, que não manteve diálogo com a administração anterior, nem com os movimentos sociais.

Segundo a deputada, o resultado foi um balanço superficial, que não traz propostas concretas: “Não houve uma convocação de diferentes setores, não se buscou especialistas, não se ouviu sociedade, disso resultou um relatório que pouco se debruça sobre a situação real de um estado do tamanho do nosso, que não traz proposições concretas, ficando muito na superficialidade, apesar do relatório ter mais de 800 páginas…”

O discurso da líder da Oposição motivou reações em Plenário. Para o líder do PSB na Alepe, Sileno Guedes, após quase quatro meses de gestão, não se justifica mais tantas ações descontinuadas, como o Programa Mãe Coruja e o pagamento do décimo terceiro do Bolsa Família. O deputado revelou estar preocupado com o “silêncio e a apatia” da gestão estadual.

Já Renato Antunes, do PL, opinou que é preciso parar de governar Pernambuco olhando pelo retrovisor, ou fazer oposição “com o fígado”. O parlamentar analisou que falhas denunciadas na Casa, como a falta de merenda e de fardamento escolar, começaram na gestão passada. Na opinião do deputado, o Governo Raquel Lyra não teve tempo de “consertar a bagunça” deixada pela administração anterior.

Waldemar Borges, do PSB, discordou de Renato Antunes. Para Waldemar, a gestão atual “é só ranço, só fígado, querendo jogar a culpa para o Governo passado.” “Diante da incompetência de enfrentar os problemas que, todos sabem, Pernambuco tinha, só que eram enfrentados, resolvidos, e que nunca levaram Pernambuco à situação em que se encontra”.