17 de agosto de 2013 às 10h25min - Por Mário Flávio

Hoje pela manhã, 16/08, no Bom Dia Brasil da Globo, assisti uma matéria que alertava sobre a violência no Brasil e, incluiu o nordeste. “A violência também assusta no nordeste”, disse a repórter. Não dá para exercer cidadania plena com tantos homicídios e descontrole em alguns casos. Um problema social que atinge a todos. A recente marcha de policiais e bombeiros militares em Recife para protestar por melhores condições de trabalho e reajuste salarial aponta para um segmento que tem vários problemas entre eles a questão salarial, os PMs e bombeiros de Pernambuco tem o 12º pior salário do Brasil.

Há índices que mostram que Pernambuco apresentou queda no número de assassinatos registrados entre 2001 e 2011, o DataSUS revela que o estado abandonou o posto de mais violento do país em números relativos estando agora na quinta posição. Recife também teve resultados satisfatórios. Saiu da segunda para a quarta posição. A redução foi de 41,3% na taxa de assassinatos.

Embora na região agreste também tenha havido redução, as informações são que Caruaru, depois de sete anos, teve o maior número de homicídios no início deste ano. Não sei como está agora. Mas a notícia do próprio blog registrando a preocupação de vereadores numa conversa com o comandante do 4º BPM reforça que não está bem do jeito que está.
Mas, outro fator complicado é o show midiático que se faz também em torno desse tema. A imprensa ajuda informando, mas até que ponto há exageros na exposição de infratores ou de casos, sendo vários desses até motivos de gozação?

Políticas públicas de segurança devem ser desenvolvidas para reduzir esses índices de homicídios que fazem do Brasil o país com o maior número de mortes com a utilização de arma de fogo por habitantes. A desigualdade social e de renda e a pobreza ajudam, mas não são fatores determinantes para o controle dos homicídios em taxas suportáveis.

O QUE ACONTECEU A AMARILDO?
Já se passaram mais de um mês, quando o pedreiro Amarildo de Souza, morador da Rocinha, foi detido pela Polícia Militar carioca para averiguações e não mais retornou. Amarildo pode ter sido mais uma das vítimas da complicada relação entre policiais, milícias e traficantes nas favelas da cidade maravilhosa. O GPS revelou o trajeto da viatura que levava ele, porém o pol´cial disse que estava “perdido”. Difícil explicar também como as câmeras da UPP da Rocinha tiveram uma pane e não registraram sua saída do prédio onde estivera detido.
Há alguns dias atrás minha filha de treze anos, ao lado de meu filho de oito, me perguntou sobre o que era a tortura? Ela remetia o fato aos dias da Ditadura Militar. Eu tive dificuldades de explicar, mas falei sobre a contemporaneidade dessa forma estúpida de punir. Minha memória registrou e ainda registra fatos desumanos e inenarráveis aqui.

SOBREVIVÊNCIA DO PT

“Se o PT quiser sobreviver como um partido nascido da luta dos trabalhadores e realmente comprometido com as mudanças sociais necessárias, tem de cortar na carne e fazer mudanças radicais”, resume, porém, sem a certeza de que lideranças internas, “aquelas com poder de decisão”, estejam realmente dispostas a uma guinada progressista. Maria Victoria Benevides – Cientista política e professora aposentada da USP, histórica militante do Partido dos Trabalhadores em entrevista ao Correio da Cidadania.

PARA PENSAR JUNTOS…
“Em nome da ambição de galgar os degraus do poder, de manter uma função pública, de usufruir da amizade de poderosos, muitos abdicam do pensamento crítico, engolem a seco abusos de seus superiores, fazem vista grossa à corrupção, se abrem em sorrisos para quem, no íntimo, desprezam”. Frei Betto


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro