27 de fevereiro de 2013 às 15h22min - Por Mário Flávio

Faleceu na madrugada deste dia 27, na Casa de Saúde Santa Efigênia/Caruaru, a advogada Maria do Socorro Bezerra Chaves, ou simplesmente Dra. Socorro Chaves. Conhecida por seu estilo único e temperamento forte, foi à primeira mulher a se formar advogada em Caruaru/PE, sendo a única acadêmica do sexo feminino da primeira turma de Direito, coisa pouco comum para o final dos anos cinquenta do século passado; e mais inédito ainda a forma como concluiu o curso; a certa altura, teve de se mudar a trabalho para Rio de Janeiro, então capital federal e conseguiu autorização da Faculdade de Direito de Caruaru, hoje ASCES, então sob a Direção Tabosa de Almeida e Pinto Ferreira para estudar sozinha as matérias, com ajuda exclusiva dos livros e vir a Caruaru fazer as provas.

Mulher de grande força, advogou por toda vida com o número de registro na Ordem dos Advogados do Brasil 2.992, para se ter uma ideia do que isso significa o advogado que se inscrever nos quadros da OAB/PE hoje sairá com registro na casa do número 33.000! Atuou em todas as áreas do Direito principalmente criminal, cível e trabalhista onde se notabilizou por utilizar fortemente o rádio para localizar clientes desaparecidos e conceder entrevistas de interesse social, talvez à primeira em Caruaru a utilizar da prática hoje conhecida como marketing pessoal.

Na área social teve forte atuação, batalhando para implantação do Conselho Tutelar em Caruaru/PE e brigando pela destinação de verbas públicas municipais para aquele órgão; atuou como fundadora e dirigente da OAB/Caruaru, fundou a Associação dos Advogados do Agreste – ASSAGRE e foi primeira presidente, conseguindo a doação de um terreno que hoje abriga o Clube dos Advogados, atualmente incorporado ao patrimônio da Subseção da OAB/Caruaru, na condição de advogada, atuante mais antiga na Justiça do Trabalho, presidiu a Assembleia de instalação da Associação dos Advogados Trabalhistas de Caruaru/PE e deu posse a primeira Diretoria da entidade.

No campo filosófico sempre apoiou e dirigiu o Pronaos Rosacruz Caruaru –Amorc, com sede no Bairro do Vassoural e adquiriu terreno no Bairro do Salgado onde lançou a pedra fundamental de mais uma unidade, no campo religioso se dizia filha de Yemanja, fazia questão de se vestir de branco na sexta-feira e de fazer suas oferendas anuais à rainha do mar.

No campo humanitário além de preocupação com as crianças e adolescentes batalhando pela implantação do Conselho Tutelar em Caruaru também manteve uma tradição, nunca cobrou um centavo para acompanhar um processo de adoção.

Vai-se uma mulher guerreira, mãe, advogada, que militou ativamente na advocacia até seus últimos dias de vida, com a mesma vitalidade e crença na Justiça da juventude, fica o exemplo de amor ao próximo, a profissão e participação na sociedade através da dedicação as entidades que fundou ou atuou e que influenciaram e influenciam a história de Caruaru/PE. Fecho esse texto tomando emprestada frase do colega advogado Osório Chalegre que numa rede social afirmou sobre o falecimento da Dra. Socorro Chaves: “ Uma grande perda para a advocacia. Polêmica, determinada, às vezes incompreendida, mas sempre firme em suas posições”. É a nossa homenagem, com votos de pesar aos familiares e amigos!

*Clóvis Santos é Advogado – OAB/PE 28.633-D


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro