10 de agosto de 2012 às 15h54min - Por Mário Flávio

“A alma da fome é política” dizia o sociólogo Herbert de Souza, Betinho, que se tornou símbolo de cidadania no Brasil ao liderar a campanha contra a fome. Betinho mobilizou a sociedade brasileira para enfrentar a pobreza e as desigualdades. Hemofílico, morreu de Aids em 9 de agosto de 1997, deixando um exemplo de solidariedade e de luta pela transformação social.

Nos anos 1980 foi articulador da Campanha Nacional pela Reforma Agrária. Em 1986, depois de saber que era portador do vírus HIV, Betinho ajudou a fundar a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia). Em 1992, fez parte do Movimento pela Ética na Política, que culminou com o impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello. O movimento serviria de base para a mobilização da campanha contra a fome.

A militância de Betinho começou na adolescência, na Ação Católica, em Belo Horizonte. Na UFMG, foi um dos fundadores da Ação Popular (AP), uma organização formada por um grupo católico pró-socialismo. Formou-se em Sociologia em 1962 e engajou-se na luta pelas reformas de base do governo João Goulart. Betinho resistiu ao golpe de 1964 e à ditadura que se instalou no Brasil. Quando a repressão intensificou-se, partiu para o exílio em 1971. Morou no Chile, no Canadá e no México.

No fim dos anos 70, a volta de Betinho, o irmão do Henfil, virou marca da campanha da anistia por causa da música “O bêbado e a equilibrista”, de Aldir Blanc e João Bosco. Betinho retornaria ao Brasil em 79 e criaria dois anos depois, junto com os companheiros de exílio Carlos Afonso e Marcos Arruda, o Ibase.

Morreu no 9 de agosto e no dia 11 o corpo foi cremado. A seu pedido, as cinzas foram espelhadas em seu sítio em Itatiaia.

Lembrar seu exemplo de vida deve nos fazer refletir sobre o que estamos fazendo para diminuir as desigualdades sociais que ainda prediminam?

LULA NA CAMPANHA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá a dez capitais, além de São Paulo, em apoio às candidaturas do Partido dos Trabalhadores (PT) e de aliados antes do primeiro turno das eleições de outubro. A agenda começou a ser definida na manhã desta quinta, em reunião entre o ex-presidente, seus assessores e o secretário nacional de organização do PT, Paulo Frateschi, no Instituto Lula, em São Paulo.

O partido disputa prefeituras, como cabeça de chapa, em 18 capitais. Aqui no nordeste está previsto Salvador e Fortaleza, além é claro da complicada campanha no Recife.

Letalidade policial

Segundo o Instituto Sou da Paz, na capital paulista, entre abril e junho de 2012, 79 pessoas foram mortas por policiais (militares e civis) em serviço. No mesmo período do ano passado, foram 73 pessoas mortas e em 2010, 71. Desde 2009, as Polícias respondem por um a cada cinco mortes cometidas intencionalmente na cidade de São Paulo.

Ainda de acordo com o Instituto, na cidade, a cada policial militar morto ou ferido, 4,2 pessoas foram mortas ou feridas pela PM. Fora da capital, essa proporção caiu pela metade: a cada PM morto ou ferido, 2,4 pessoas foram mortas ou feridas pela PM. No fim do mês passado, a morte do publicitário Ricardo Prudente de Aquino, de 42 anos, assassinado por PMs durante uma abordagem, causou uma série de críticas. Movimentos sociais iniciaram coleta de assinaturas pedindo a desmilitarização da corporação, e a Defensoria e o Ministério Público Federal (MPF) ameaçam entrar com ações contra o Comando.

Vale a pena lembrar…

Me surprendo saber que ainda tem candidatos que obrigam seus eleitores a lhe entregarem o número do título. É corrupção eleitoral ativa: oferecer dinheiro, presente ou qualquer vantagem para o eleitor em troca de voto, ainda que a oferta não seja aceita;Passiva: pedir ou receber dinheiro, ou qualquer vantagem, em troca do voto; E mais, usar de violência ou grave ameaça para coagir alguém a votar, ou não votar, em determinado candidato ou partido, ainda que os fins visados não sejam conseguidos e reter indevidamente o título eleitoral de outra pessoa. Gente, aproveita as facilidades do celular e grava qualquer fato desses, a denuncia pode ser anônima no Ministério Público ou no Disque Denúncia mesmo, 3719.4545.

 

*Paulo Nailson é dirigente político com atuação em movimentos sociais, Membro da Articulação Agreste do Fórum de Reforma Urbana (FERU-PE) e Articulador Social do MTST. Edita a publicação cristã Presentia. Foi dirigente no PT municipal por mais de 10 anos. Cursa Serviço Social.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro