9 de dezembro de 2011 às 23h38min - Por Mário Flávio

Para quem está conectado as redes sociais, sabe bem que a hashtag (pra quem não sabe… é o antigo símbolo do jogo da velha que ganhou novo nome com a geração “Y”!) #prontofalei é bastante comum na internet. Normalmente, ela é utilizada logo após algum desabafo ou assunto polêmico. No entanto, parece que a internet virou terreno livre e que quando a gente escreve ninguém vai ler.

Uma usuária do Twitter está causando alvoroço nas redes sociais desde ontem. Identificada como Sophia Fernandes (@SophiaOfDreams), ela disparou ataques preconceituosos a nordestinos. Em resposta, pessoas de todo o Brasil passaram a rebater seus posts. Dando uma lida pelo caso na internet, vi que o estrategista em marketing digital Gabriel Rossi acredita que se trata de mais um caso que demonstra a necessidade de reforço à educação para que a internet evolua em qualidade no Brasil. “É um exemplo que revela o ‘lado b’ da web”, garante.

Sophia, ou a pessoa por trás do perfil, insiste em chamar nordestinos de macacos, sujos e pobres. Seu perfil no Twitter já teve dezenas de atualizações, a maioria falando mal dos nascidos no nordeste brasileiro. “Nordestino tem caráter? Acho que não eim” e “Nordestino não nasce… é cagado” são dois dos comentários de Sophia.

Hoje, cada vez mais as pessoas utilizam a internet para esclarecer suas opiniões, mas nem sempre há discussões construtivas com sugestões e argumentos consistentes. Atualmente, cerca de 50 milhões de brasileiros já possuem banda larga. Mas a educação digital não acompanha esta evolução. E o caso de Sophia não é isolado, nesta mesma época, no ano passado, a estudante de direito e moradora de São Paulo, Mayara Petruso, entrou no Trend Topics (assunto mais comentado do Twitter) porque falou mal dos nordestinos também. Demissão do estágio no escritório de advocacia, cancelamento das redes sociais e um possível processo de xenofobia… foi o que aconteceu com ela e que ninguém mais fala. Hoje, o assunto volta à rede com Sophia.

Pra gente, fica a reflexão e a lição de que as ações no mundo virtual têm igual relevância às ações no mundo real. E o mesmo acontece com as possíveis penalidades. O comportamento digital tem consequências na sociedade, algo que ainda nem temos ideia. O que chega às redes sociais pauta conversas em casa, no trabalho, nos bares, etc. E o inverso também é válido. O que há de trash na vida real acaba chegando à internet, ao mundo virtual. Neste caso da Sophia, twiteiros já contataram a OAB do Piauí, pedindo atenção ao caso.

A internet é uma ótima ferramenta por permitir que as pessoas se expressem. Isso é sua base, e deve continuar. Mas precisamos cada vez mais buscar um aperfeiçoamento. É preciso lembrar que a internet guarda o que postamos. Antes do #prontofalei, que tal um #prontopensei antes de postar?!

*Conceição Ricarte é jornalista, com pós graduação em Assessoria de Imprensa, é produtora da Rádio Globo FM, analista de social media e apaixonada por internet e tecnologia.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro