22 de dezembro de 2017 às 22h15min - Por Mário Flávio

Da Coluna Pinga Fogo – Jornal do Commercio

Em uma guerra que vale o partido com maior fundo eleitoral e tempo de TV nas eleições 2018, em Pernambuco, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) ganha terreno na cúpula da legenda, mas acaba de perder um novo round na Justiça. Ontem, o desembargador Josué Antônio Fonseca da Sena, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), manteve a decisão, concedida em primeira instância, que suspende a dissolução do diretório estadual do partido. Com isso, o controle da legenda segue com o presidente do PMDB-PE, Raul Henry, e com o deputado federal Jarbas Vasconcelos.

No dia 6 de setembro, depois de um longo processo de desgaste no PSB, Bezerra Coelho deixou a legenda e se filiou ao PMDB. O presidente nacional do partido peemedebista, Romero Jucá, prometeu então dissolver o PMDB pernambucano para retirar a legenda de Jarbas, que votou a favor das denúncias contra o presidente Michel Temer, provocando a ira da cúpula nacional peemedebista.

O PMDB iniciou o rito interno para dissolver o diretório e Jarbas e Raul iniciaram a resistência jurídica, conseguindo duas liminares para suspender a medida – uma na Justiça de Pernambuco e outra no Distrito Federal. Mas o TJDF remeteu o processo à 26ª Vara do TJPE, tendo em vista que a decisão pernambucana saiu primeiro. Agora os casos tramitam juntos.

Na última terça (19), na convenção nacional do PMDB, Jucá voltou a anunciar que o partido em Pernambuco sofrerá intervenção, com base em uma mudança no estatuto do partido sobre a qual se baseia a decisão judicial que suspende a dissolução da legenda pernambucana.

O PMDB nacional recorreu à segunda instância para suspender a liminar que impede a dissolução do partido em Pernambuco. Mas, nesta quinta, o TJPE negou o pedido e manteve a dissolução suspensa.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro