28 de fevereiro de 2012 às 07h30min - Por Mário Flávio

Por falta de condições mínimas de funcionamento mais dois matadouros receberam recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que sejam desativados ou interditados. O objetivo é prevenir e reprimir a comercialização de carnes sem o cumprimento das normas sanitárias exigidas. Os estabelecimentos, que estão localizados nos municípios de Orobó e Aliança, devem ter seus serviços transferidos para outras cidades. As promotoras de Justiça Maria José Mendonça e Sylvia Câmara de Andrade são as responsáveis pelas recomendações pela publicação, respectivamente.

Laudos da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) foram tomados como base para as promotoras, que vetou o abate e a manipulação de qualquer animal nos locais. Os trabalhos realizados no Matadouro de Orobó deverão ser transferidos para o de Surubim e os de Aliança, para Paudalho.

Apesar do Matadouro Público de Aliança ter passado por melhorias na sua estrutura, algumas exigências prioritárias ainda precisam ser atendidas. Entre elas estão o uso de pistola de ar comprimido, aquisição de caldeira, instalação dos esterilizadores, reativação do salão de abate de suínos e caprinos e a reativação do sistema de efluentes.

O termo ainda destina a fiscalização dos ambientes aos prefeitos dos municípios, Secretarias de Saúde, coordenadores de vigilância sanitária e à Associação dos Marchantes e Fateiras do município de Aliança. Os gestores públicos ficaram responsáveis por encaminhar ao MPPE, num prazo de 10 dias, um relatório circunstanciado a respeito de todas as providências adotadas. Essas recomendações foram publicadas na edição do último sábado (25) do Diário Oficial.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro