18 de outubro de 2017 às 17h06min - Por Mário Flávio

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta quarta-feira (18) o ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) Carlos Arthur Nuzman por corrupção passiva e organização criminosa. Além dele, o ex-diretor de operações e marketing do COB Leonardo Gryner, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral e o empresário Arthur Cesar Filho, conhecido como “Rei Arthur”, também são acusados pelos crimes. Segundo o MPF, os envolvidos teriam praticado corrupção passiva e suborno para a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas.

As investigações apontam que Nuzman teve participação direta na compra de votos de membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a eleição do Rio de Janeiro e que teria sido o responsável por interligar corruptos e corruptores.

Além disso, o MPF acusa o ex-presidente do COB de dissimular a propriedade e a origem de 16 quilos de ouro. No caso de Cabral, os investigadores dizem que o ex-governador atuou em um “engenhoso envio de recursos de propina para o exterior”. Até o momento, as investigações resultaram em 18 ações penais.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro