9 de fevereiro de 2012 às 10h00min - Por Mário Flávio

O procurador-geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon, formalizou, nesta quarta-feira (8), em visita ao secretário estadual de saúde, Antonio Carlos Figueira, o apoio irrestrito do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) à Operação Lei Seca. A parceria se dará através de palestras educativas e também na vigilância contra os perfis no twitter que informam aos internautas onde estão as fiscalizações.

“Desrespeitar a Lei Seca é crime e só traz prejuízo à sociedade. Estamos encampando o programa e vamos ampliar o trabalho de educação, por meio dos promotores de Justiça. Estamos monitorando e desativando os perfis no twitter dos usuários que tentam burlar a lei, como ocorreu com o @adoroblitz. As vítimas e parentes de acidentados conhecem a dor gerada pelo desrespeito às normas de trânsito”, explicou Fenelon.

Para o secretário de Saúde, a parceria do MPPE constitui importante reforço a um programa que vem mudando hábitos culturais. “Estamos ampliando o número de parceiros e toda a sociedade está se envolvendo nessa causa, cujo objetivo é evitar acidentes e mortes. Percebemos, nas fiscalizações, a redução do número de condutores completamente embriagados e também o aumento dos carros sendo conduzidos pelo chamado amigo da vez”, disse Figueira.

A Operação Lei Seca, no modelo como está, sob coordenação da Secretaria Estadual de Saúde, com apoio do Detran e da Polícia Militar, começou no dia 1º de dezembro de 2011. De lá para cá, 41.869 motoristas foram abordados em blitzes e 3.061 deles foram multados por diversos tipos de infração. No mesmo período, 81.898 testes de alcoolemia foram realizados e 122 condutores autuados em flagrante por apresentar consumo de álcool acima do limite estabelecido pela lei.

Neste mês de fevereiro, 770 veículos já foram abordados e 768 testes de alcoolemia realizados. No total, três motoristas foram autuados em flagrante por apresentar consumo de álcool acima do limite estabelecido pela lei. Nesse mesmo período, 46 motoristas foram multados, por diversos tipos de infração.

Modelo- Inspirado no modelo do Rio de Janeiro, com informatização e instalação de tendas onde são realizados os testes de alcoolemia, o programa tem na educação e na orientação aos condutores seu eixo principal. No trabalho de orientação, a operação conta com 24 profissionais, sendo 16 cadeirantes ou muletantes (todos vítimas de acidentes, após dirigirem sob efeito de álcool) e oito auxiliares. Essa ação ocorre em bares e pontos de aglomeração onde estão programadas fiscalizações, como forma de evitar que os condutores dirijam após o consumo de álcool.

Na parte da fiscalização, são montados, diariamente, em todos os dias da semana, seis blitzes na Região Metropolitana do Recife, envolvendo 141 profissionais das três secretarias. A nova estrutura possibilitou o aumento, em três vezes, no número de abordagens a veículos em relação às blitzes de alcoolemia existentes antes da operação


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro