1 de fevereiro de 2017 às 19h51min - Por Mário Flávio

O Ministério da Educação (MEC) protocolou, na tarde desta quarta-feira, 1, um pedido de apuração de denúncias feitas por seis candidatos às vagas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na sede da Polícia Federal (PF), em Brasília. Os candidatos relataram o acesso indevido de dados pessoais que teriam possibilitado mudanças de senha e dados de inscrição, como opção de curso. O processo de inscrição de vagas no Sisu foi concluído no dia 29 de janeiro deste ano, com 2,4 milhões de inscritos.
O MEC informou à Polícia Federal que o sistema do Sisu não identificou qualquer indício de violação. “Não houve alertas nos sistemas de segurança. E nem há indício comportamental típico de episódios promovidos por hackers”, diz o texto.

O ofício do MEC, que pede a apuração dos fatos, é assinado pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, e direcionado ao diretor-geral do departamento da PF, Leandro Daiello Coimbra. No documento, o ministro informa que tem conhecimento de seis casos diante dos 4,4 milhões de inscritos. No entanto, arguments que diante da relevância do tema, que mobiliza milhões de estudantes, e da gravidade das denúncias, considera necessário proceder a uma investigação para que se apurem os fatos relatados, visando o esclarecimento à sociedade. O documento foi encaminhado pelo chefe de gabinete da Secretaria de Educação Superior (Sesu), Ataide Alves.

“Os relatos dão conta de acessos feitos por terceiros às inscrições, com o propósito de alterar curso e instituição de ensino. É importante destacar que a senha dos candidatos é sigilosa e só pode ser alterada pelo candidato ou por alguém que tenha acesso indevidamente a dados pessoais do candidato”, diz um trecho do documento, que pode ser conferido na íntegra abaixo.
Até a presente data, o MEC foi informado de seis casos de estudantes e, diante da relevância do tema, que envolve milhões de estudantes, considera necessário proceder a uma investigação para que se apurem os fatos relatados, visando o esclarecimento à sociedade.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro