6 de março de 2018 às 12h05min - Por Mário Flávio

Lula

Do Uol

Na primeira pesquisa CNT/MDA após o Tribunal Regional Eleitoral da 4ª Região manter a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aumentar a pena para 12 anos e um mês de prisão no caso do triplex do Guarujá (SP), o petista teve recuo nas intenções de voto espontâneas para o primeiro turno. No levantamento anterior, divulgado em setembro de 2017, ele liderava com 20,2%. Na pesquisa apresentada nesta terça-feira (6/3), Lula caiu para 18,8%, mas ainda é o primeiro colocado. O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) continua em segundo, agora com 12,3% – tinha 10,9%.

Realizada de 28 de fevereiro a 3 de março, a pesquisa não foi influenciada pelo resultado da sessão na Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na tarde de hoje, quando os ministros julgarão o mérito de um habeas corpus preventivo de Lula. Também não reflete as impressões da população após a quebra do sigilo bancário do presidente da República, Michel Temer, determinada nesta segunda-feira (5) pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), em decorrência de inquérito que investiga a edição do chamado Decreto dos Portos.

A pesquisa CNT/MDA, registrada no TSE com o número BR-06600/2018, ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas, nas cinco regiões do país.
Lula e Bolsonaro são seguidos, na preferência do eleitor, por Marina Silva (7,8%), Geraldo Alckmin (6,4%) e Ciro Gomes (4,3%). Isso demonstra uma mudança em relação ao levantamento de setembro passado, quando João Doria vinha em terceiro, com 2,4% das intenções de voto, Marina em quarto (1,5%) e Alckmin em quinto (1,2%).

Nas intenções de voto estimuladas, quando são informados ao eleitor os nomes de possíveis candidatos, Lula lidera em todos os cenários de segundo turno. Contra Bolsonaro, ele ficaria com 44,1% contra 25,8% do deputado. Quando enfrenta Alckmin, a disputa é 44,5% x 22,5% a favor do ex-presidente. Contra Marina: 43,8% x 20,3%.

Com Lula fora de cena, Bolsonaro teria 26,7% das intenções de voto em um segundo turno contra Alckmin (24,3%). Se enfrentasse Marina, a disputa seria mais apertada: 27,7% para o deputado contra 26,6% da pré-candidata. Nesses cenários, a quantidade de votos brancos ou nulos seria enorme, entre 40% e 50%.

Avaliação do governo
Em relação à avaliação do desempenho pessoal e de governo do presidente Michel Temer, houve um leve recuo entre os que desaprovam a gestão do emedebista. De acordo com a pesquisa anterior, ele enfrentava 84,5% de reprovação, o pior índice de um presidente da República em toda a série histórica. Agora, tem 83,6%. A aprovação é de 10,3%, e 6,1% não souberam opinar.

Veja abaixo outros números da 135ª Pesquisa CNT/MDA:

Segurança pública

25,3% acham que vai melhorar, contra 16,6% que tinham a mesma opinião em setembro
Intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro

69% são favoráveis e acham que a decisão foi correta
12,3% não são favoráveis
Criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública

62,8% são favoráveis
16,4% são contrários
Crise na Venezuela

44,4% acreditam que o Brasil deve acolher os imigrantes
19% concordam parcialmente
27,5% consideram que o país não deve permitir a entrada de imigrantes
68,7% acreditam que, uma vez legalizados, os imigrantes venezuelanos devem ter acesso a serviços públicos e ser acolhidos no mercado de trabalho


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro