14 de junho de 2017 às 18h49min - Por Mário Flávio


Nesta quarta-feira (14), a Câmara de Vereadores recebeu uma audiência pública para discutir as atuais condições do Rio Ipojuca, que corta Caruaru, no Agreste. Estiveram presentes no encontro entidades, parlamentares, e representantes da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e de ONG’s do município.
Durante o encontro “Um Rio Melhor para Todos”, a Compesa apresentou um projeto que determina que até 2020 o Rio Ipojuca receba 90% da água de esgoto tratada sendo despejada no leito.

“A amostra da água analisada foi reprovada do ponto de vista bacteriológico, devido à presença de coliformes totais e termotolerantes e contagem de bactéria acima de 500 UFC/mL, ou seja, nós estamos preocupados porque a Compesa faz o recolhimento da taxa de esgoto de 20% a 40%, e essa água jogada continua contaminando o Rio Ipojuca”, disse o vereador Fagner Fernandes.

O parlamentar também informou que a companhia de água já foi notificada e que uma reunião será marcada com a comissão de Meio Ambiente da Câmara de Vereadores para a Compesa falar sobre o assunto.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro