27 de fevereiro de 2018 às 20h39min - Por Mário Flávio
Crédito da foto: @anthonyvianafotografo

Crédito da foto: @anthonyvianafotografo

Foram cinco anos de trabalho, pesquisando jornais, revistas, cartas e correspondências ainda desconhecidas, relendo processos judiciais, checando documentos históricos e realizando muitas entrevistas. Foi assim que o jornalista Fernandino Neto concluiu seu projeto mais ambicioso, a biografia de Anastácio Rodrigues, considerado o eterno prefeito de Caruaru.

Diante de uma figura tão complexa e pouco discutida, Fernandino dividiu a biografia em dois volumes, transformando a narrativa em um livro de subsídios para a História política de Caruaru. Por isso, a produção exigiu um esforço diferenciado. “Encontrei uma documentação razoável a respeito de Anastácio e havia muitas lacunas que precisei cobrir. Eu trouxe para o livro a personalidade dele, de modo que foi um mergulho na própria História de Caruaru. A cidade agora tem uma obra robusta que se projeta a partir do viés político, reunindo fatos históricos, eleições, bastidores, polêmicas e revelações”, comenta o autor.

Temas fortes como brigas, traições e perseguição política são alguns dos destaques. Anastácio decidiu falar sobre tudo, inclusive as mágoas e ressentimentos, os dramas, percalços e inimizades que acumulou ao longo da vida pública. “O livro também tem intenção de fazer com que os caruaruenses olhem o passado em busca de explicações para a cidade de hoje. Dessa maneira, poderão se aparelhar mais adequadamente para a construção do futuro”, opina Fernandino.

A narrativa da biografia revisita a Caruaru do início do século XX, comandada por coronéis e a campanha de redemocratização do Brasil, após a ditadura do Estado Novo, implantada por Getúlio Vargas, que culmina com a eleição do visionário prefeito Pedro de Souza. Em seguida, chega à década de 1950, quando João Lyra Filho foi eleito prefeito, formando, anos depois, um grupo político pelo qual surgiram figuras como o próprio Anastácio, Fernando Lyra, José Queiroz, João Lyra Neto e Jorge Gomes. Todos esses políticos têm a sua trajetória narrada no livro, assim como Drayton Nejaim e Tony Gel – que se destacaram politicamente no campo da direita.

Mais do que uma biografia, o livro é uma grande reportagem sobre a política caruaruense e os bastidores do poder, dos anos 1940, até a eleição de Raquel Lyra, primeira mulher eleita prefeita do município, em 2016. Em todos os cenários, a figura de Anastácio surge como protagonista, coadjuvante ou mesmo como cidadão preocupado com o progresso de sua terra.
O texto também explora as incoerências de Rodrigues, como sua relação controversa com o regime militar e a filiação à Arena, depois de ter sido o primeiro prefeito eleito pelo MDB, em Caruaru, durante a ditadura. A ideia de que Anastácio foi um ótimo gestor, mas um político de habilidade questionável, também são analisadas no livro. “Diante da robustez de informações, meu desafio maior foi escrever um texto agradável e interessante de ser lido – e não apenas consultado”, explica Fernandino Neto, que também é autor de “Prazer em Conhecer”, biografia da atriz caruaruense Prazeres Barbosa.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro