Humberto Costa avalia 100 dias do governo Lula

Lucas Medeiros - 11.04.2023 às 19:25h
(Imagem: Roque de Sá/ Agência Senado)

Os primeiros 100 dias de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foram marcados por mudanças simbólicas e profundas para o povo brasileiro, segundo o senador Humberto Costa (PT). Ele destacou que o presidente atual herdou uma “herança do atraso” da gestão anterior.

O novo governo colocou um fim ao desprezo pela vida, dignidade humana, negacionismo, necropolítica, ignorância, incompetência, desleixo e preguiça no tratamento de questões nacionais”, disse o parlamentar em um discurso no plenário na terça-feira (11).

Um exemplo dessa mudança é o esforço inicial do governo em combater a fome de mais de 33 milhões de pessoas que estavam em situação de vulnerabilidade devido aos erros da gestão anterior. O Bolsa Família, por exemplo, agora paga em média R$ 670, o maior valor da história. Apenas em Pernambuco, estado do senador, os investimentos ultrapassam R$ 1 bilhão e atendem a 1,7 milhão de famílias.

Além disso, a nova gestão relançou o Programa de Aquisição de Alimentos, injetando R$ 500 milhões para dinamizar a agricultura familiar. A preocupação com o povo se estende também com a retomada do programa Minha Casa, Minha Vida, que entregou 5,6 mil residências em oito estados.

Na saúde, especialidade de Humberto Costa (ex-ministro da área), o governo lançou o Movimento Nacional pela Vacinação, “em que imunização volta a ter papel de protagonismo, depois de anos de ataques pela administração obscurantista dos últimos anos”. O senador lembrou ainda da retomada do Mais Médicos, que vai fixar 28 mil profissionais pelo país até o final do ano.

Graças a Deus o Brasil saiu daquele pesadelo e pode comemorar agora com altivez, com esperança e, acima de tudo, com a crença no futuro. 100 dias de um governo que vai unir o povo brasileiro e reconstruir o nosso país”, comemorou o senador petista.

Mais investimentos

Humberto ainda destacou os R$ 23 bilhões alocados no Orçamento para investir em infraestrutura no país, superando o total aplicado em quatro anos pela gestão anterior.

O parlamentar ressaltou também atuações fundamentais do governo Lula no combate ao racismo, na defesa do meio ambiente, equidade de gênero e política externa – retirando o país da condição de pária internacional.

Sobre a atuação em segurança pública, Humberto aproveitou para alfinetar os opositores do governo federal, mencionando como exemplo o aumento do crime organizado.

E aqui eu ouvi alguém falar: o crime organizado está hegemonizando a Amazônia. E quem foi que permitiu que o crime organizado se instalasse lá? Que governo foi que permitiu que o tráfico de drogas, o contrabando de armas, a pesca ilegal, o garimpo ilegal? [Isso se chama] falta de memória”, afirmou o senador.

Economia

Na área econômica, o governo federal retomou 14 mil obras paralisadas no país. Por exemplo, 140 em escolas e creches de Pernambuco, via Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Demos reajuste real do salário mínimo em benefício direto a mais de 58 milhões de brasileiros. E fizemos tudo isso com extrema responsabilidade fiscal”, lembrou Humberto.

Outros investimentos incluem números robustos para os primeiros dias de governo: R$ 535 milhões em ciência e tecnologia, R$ 203,5 milhões em habitação, R$ 144,5 milhões em infraestrutura em saúde, R$ 203,5 milhões em habitação e R$ 3,3 bilhões em rodovias.

A preocupação com a retomada do crescimento é acompanhada conjuntamente com a preocupação com os gastos. Nos próximos dias, a gestão Lula enviará ao Congresso Nacional a proposta para o novo arcabouço fiscal, com o intuito de garantir solidez às regras fiscais do país.

Mudança de postura

Outro tema ressaltado por Humberto foi a mudança no enfrentamento de calamidades sociais, como as ocorridas em São Paulo e no Maranhão. Todas tratadas a partir do diálogo aberto com prefeitos, governadores, Congresso Nacional, Judiciário, Ministério Público e sociedade civil.

Diferentemente do presidente anterior, que ficava passeando de jet ski e dizendo que estava de férias enquanto o povo estava se acabando no meio da chuva. E chegar alguém aqui com total desfaçatez para defender o indefensável”, disse.

Além disso, o senador destacou que o Brasil agora retoma a harmonia entre as instituições e a defesa intransigente da democracia e dos direitos humanos.

Estamos todos unidos, empenhados nesse projeto e olhando para o futuro. E eu não tenho dúvida de que, muito em breve, sairemos novamente do Mapa da Fome para que o Brasil, juntamente com o seu povo, retome o lugar de grandeza e de destaque que a História lhe reserva”, finalizou o senador.