6 de novembro de 2012 às 08h25min - Por Mário Flávio

Desde que o presidente da Câmara de Caruaru, Lícius Cavalcanti (PCdoB), decidiu mudar o horário das sessões para a parte da manhã que ficou evidente a necessidade de repensar essa situação. Pela manhã, a participação popular aumentou, a imprensa passou a acompanhar com mais frequencia e os debates deixaram de ser enfadonhos, principalmente sobre as picuinhas.

A alegação dos que defendem a sessão a noite é que o horário para estacionar é melhor e que a noite, a poluição acompanhava as sessões. Algumas ponderações devem ser feitas a respeito do horário. Existe a dificuldade de estacionar de dia para os que chegam atrasados. Até 8h as vagas sobram no local, mas o problema neste caso é cultura, já que nenhum evento em Caruaru começa na hora marcada.

Quanto a participação popular a noite é um fiasco. Comparecem meu dúzia de gatos pingados e a maioria é da assessoria dos vereadores. Com isso essa tese do público é derrubada. Com a transmissão ao vivo das sessões o número de pessoas nas reuniões a noite caiu ainda mais. No entanto, ter uma sessão esvaziada pode ser a intenção de alguns vereadores – a minoria – para evitar ter uma população mais critica e conhecedora do processo legislativo.

Para os que pensam assim é lamentável. Quem vai passar o dia trabalhando e a noite, a partir de 20h acompanhar uma sessão que ainda segue moldes mediáveis? Temos aqui o caso de longas leituras de atas, mensagens chatíssimas e um ritual ultrapassado, que precisa urgentemente ser mudado. Esses memorandos e leituras poderiam ser resolvidos por meio de uma comunicação interna eficiente, mas comunicação passa longe de ser uma prioridade. #FicaaDica


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro