20 de março de 2012 às 07h30min - Por Mário Flávio

Nesta terça (20) faz uma semana que os servidores da Destra deflagaram a greve. De lá para cá, o que vê é uma quebra de braço entre os grevistas e prefeitura de Caruaru. O Executivo Municipal diz que acatou 13, dos 14 itens da pauta de reivindicações. Os grevistas rebatem e afirmam que o reajuste salarial está bem abaixo do esperado. O caso foi parar na justiça, com a prefeitura conseguindo uma liminar, a qual o juiz José Fernando, afirmou que a greve era ilegal.

Os grevistas, por meio do Sismuc, recorreram da decisão e o Desembargador, Luiz Carlos de Barros Figueiredo, impugnou a liminar. No texto, ele afirmou que os grevistas têm razão. Imediatamente, a prefeitura afirmou a esse blogueiro que vai recorrer da decisão. O presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça, garantiu que sinalizou para iniciar uma negociação, mas segundo ele, existe resistência por parte do Executivo.

A prefeitura de Caruaru diz que não negocia mais pela intransigência dos grevistas e culpa o Sismuc pela paralisação. O sindicato nega e afirma: a decisão da greve é dos servidores. Hoje pela manhã, a partir de 9h, numa coletiva de imprensa, os grevistas irão sinalizar o caminho a ser seguido. No mesmo horário, a prefeitura realiza o seminário Caruaru 2030.

OPINIÃO – Do jeito que vai, sem nenhum dos lados querendo ceder, quem perde é o cidadão que cumpre as leis de trânsito. Após quase três anos da criação da Autarquia, o trânsito melhorou e muito e os maus motoristas, tiveram que aprender a respeitar as leis na base da caneta. Desde que a greve foi deflagrada, os infratores ganharam as ruas e o baixo efetivo do Detran, não é suficiente para organizar o trânsito de Caruaru. O que se espera é maturidade nessa questão e que ambos os lados sentem para negociar, o interesse é coletivo e a Destra hoje faz parte das nossas vidas.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro